Eduardo Bolsonaro testa positivo para Covid-19

Parlamentar integrava a comitiva presidencial que viajou aos Estados Unidos (EUA) na última semana e é o terceiro caso positivo do grupo

atualizado 24/09/2021 11:39

7 de setembro protesto brasil brasilia bolsonaro stf helicoptero esplanada DF 6Igo Estrela/Metrópoles

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) testou positivo para a Covid-19. A informação foi revelada pelo portal R7 e confirmada por aliados e interlocutores do parlamentar ao colunista Igor Gadelha, do Metrópoles, nesta sexta-feira (24/9).

Eduardo integrava a comitiva presidencial que viajou aos Estados Unidos (EUA) na última semana, para a 76ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU).

Durante a viagem, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, também testou positivo para a Covid. Eduardo é a terceira pessoa acometida pelo coronavírus na comitiva presidencial. A primeira ocorrência foi a contaminação do diplomata que preparou a viagem brasileira à ONU.

0

O deputado federal recebeu a primeira dose da vacina contra a Covid-19 em 26 de agosto. O imunizante foi aplicado pelo ministro da Saúde.

Nas redes sociais, Eduardo confirmou o diagnóstico e disse que está bem. “Comecei a me tratar imediatamente”, escreveu, no Twitter.

O parlamentar publicou a imagem de um comentário feito por ele mesmo em uma transmissão ao vivo. No texto, Eduardo explica que fez o teste de Covid-19 antes de sair de Nova York, e que o resultado deu negativo. O exame realizado em território brasileiro, no entanto, foi positivo.

Passaporte sanitário

Eduardo Bolsonaro usou a situação para criticar o passaporte da vacina, adotado em centenas de cidades em todo o Brasil. “O meu caso e o do Queiroga são exemplos que descredibilizam o passaporte sanitário. Sinto-me melhor do que ontem e nem te conto o que tomei”, escreveu.

“Sabemos que as vacinas foram feitas mais rápidas do que o padrão. Tomei a 1ª dose de Pfizer e contraí Covid. Isso significa que a vacina é inútil? Não creio. Mas é mais um argumento contra o passaporte sanitário. Estudos sobre efeitos colaterais e eficácia estão ocorrendo agora”, continuou.

Criado como medida para evitar a disseminação do coronavírus em estabelecimentos e eventos, o passaporte sanitário somente é emitido para cidadãos que receberam as duas doses ou dose única de vacinas contra a Covid — não é o caso de Eduardo Bolsonaro.

Autoridades com Covid

Diagnosticado horas antes do retorno previsto ao Brasil, o ministro da Saúde estava assintomático até a noite de terça-feira (21/9). Ele cumpre quarentena no hotel em que já estava hospedado em Nova York.

Queiroga foi o 11º ministro de estado do governo Bolsonaro a ter diagnóstico positivo para Covid-19. Tereza Cristina (Agricultura) e Bruno Bianco (AGU) informaram, nesta sexta-feira, que também estão contaminados. Além disso, outros cinco ex-ministros também contraíram o vírus durante a gestão.

Ministros que tiveram Covid-19

1) Marcelo Queiroga (Saúde)
2) Luiz Eduardo Ramos (Secretaria-Geral da Presidência)
3) Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional)
4) Bento Albuquerque (Minas e Energia)
5) Milton Ribeiro (Educação)
6) Onyx Lorenzoni (Cidadania)
7) Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia e Inovações)
8) Wagner Rosário (Controladoria-Geral da União)
9) Braga Netto (Defesa)
10) Fábio Faria (Comunicações)
11) Tereza Cristina (Agricultura)
12) Tarcísio de Freitas (Infraestrutura)
13) Bruno Bianco (AGU)
14) Walter Braga Neto (Defesa)

Ex-ministros que tiveram Covid-19 no cargo

1) André Luiz Mendonça (Justiça e AGU)
2) Jorge Oliveira (Secretaria-Geral)
3) Marcelo Álvaro Antônio (Turismo)
4) Eduardo Pazuello (Saúde)
5) Ricardo Salles (Meio ambiente)

Ministros que tiveram Covid-19 antes de assumir o cargo

1) João Roma (Cidadania)
2) Ciro Nogueira (Casa Civil)
3) Gilson Machado (Turismo)
4) Anderson Torres (Justiça e Segurança Pública)

Recomendações da Anvisa

Após a confirmação de que Queiroga havia testado positivo para o coronavírus, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) enviou ofício à Casa Civil recomendando que todos os integrantes da comitiva realizassem quarentena de 14 dias ao chegar em território brasileiro.

As orientações gerais da Anvisa aos integrantes da comitiva que retornou dos EUA são:

  • desembarque no Brasil de forma a expor o mínimo possível ambientes e pessoas;
  • cumprimento do período de isolamento de 14 dias após o último dia de contato com o caso confirmado de Covid-19, conforme o Guia de Vigilância Epidemiológica para Covid-19 publicado pelo Ministério da Saúde;
  • cumprimento de isolamento na cidade de desembarque no Brasil, evitando novos deslocamentos até que tenham ultrapassado o período de transmissibilidade do vírus; e
  • submissão a novos testes em solo brasileiro.
Deputado em Nova York

Durante a viagem da comitiva presidencial aos Estados Unidos, Eduardo Bolsonaro foi vaiado em uma loja de aparelhos eletrônicos no país.

Imagens divulgadas nas redes sociais mostram o momento em que o parlamentar é hostilizado na loja. “Fora, Bolsonaro. Você é uma vergonha para o Brasil. Você é uma vergonha. Vergonhoso!”, grita um homem.

Além de Eduardo Bolsonaro, participaram da comitiva presidencial os ministros da Saúde, Marcelo Queiroga; das Relações Exteriores, Carlos França; e do Meio Ambiente, Joaquim Leite.

Os titulares do Turismo, Gilson Machado; da Segurança Pública, Anderson Torres; e da Secretaria-Geral, Luís Eduardo Ramos, também fizeram parte da comitiva.

Últimas notícias