Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

Refit sofre derrota na Câmara em MP dos combustíveis

Medida provisória agora será analisada pelo Senado

atualizado 25/11/2021 20:57

AbastecimentoRafaela Felicciano/Metrópoles

A refinaria carioca Refit sofreu uma derrota na Câmara nesta quinta-feira (25/11), na disputa com as grandes distribuidoras de combustíveis. Os deputados rejeitaram permitir a venda de etanol de fornecedores diferentes do vinculado à bandeira do posto, retirando esse trecho de uma medida provisória enviada ao Congresso pelo Planalto em agosto.

A Refit, ligada ao empresário Ricardo Magro, defendia a flexibilização da bandeira e a abertura do mercado de venda de combustíveis. Por outro lado, a votação beneficiou as grandes distribuidoras, como Raízen, Ipiranga e Vibra Energia, ex-BR Distribuidora, que defendiam a manutenção do modelo de bandeira branca e contratos de exclusividade.

A medida provisória, que agora será analisada pelos senadores, permite aos fabricantes e importadores de etanol negociar o produto diretamente com postos de combustíveis, sem passar pelas distribuidoras.

Quando apresentou a proposta, em agosto, o Planalto afirmou que a medida estimulava a competição e o aumento de investimentos em infraestrutura.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna