Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto e Eduardo Barretto

Polícia investiga ameaça e perseguição contra vereadora de Campinas

Mariana Conti, PSol, tem denunciado ameaças à Polícia Civil desde o ano passado

atualizado 14/08/2022 11:03

Mariana Conti, vereadora de Campinas Reprodução

A Polícia Civil de São Paulo abriu inquérito para investigar um homem pelos crimes de ameaça e perseguição contra a vereadora de Campinas Mariana Conti, do PSol. A apuração foi iniciada na última quarta-feira (10/8). Conti também é pré-candidata a deputada estadual por São Paulo.

Na última terça-feira (9/8), a parlamentar informou à Polícia Civil que havia identificado, na véspera, um homem que atende por nome “Clodoaldo” dentro da Câmara Municipal de Campinas. Segundo a vereadora, ele fez diversas ameaças por telefone ao seu gabinete, desde o ano passado.

“Se sente muito intimidada no seu ambiente de trabalho, constrangida para exercer seus atos parlamentares e teme pela sua integridade física”, depôs Mariana Conti na delegacia.

A vereadora registrou a primeira ameaça em novembro do ano passado. De acordo com o boletim de ocorrência, o agressor mandou a parlamentar “parar com suas críticas ao governo federal” e “mudar o posicionamento, ou o bicho vai pegar”. O episódio se repetiu outras vezes, inclusive com xingamentos, informou a vereadora aos policiais.

A Polícia colherá o depoimento do investigado e pediu que a Câmara Municipal detalhe os dias em que o homem foi ao Parlamento. Inicialmente, o inquérito policial apura dois crimes: ameaça, cuja pena chega a seis meses de prisão, e perseguição, que pode chegar a três anos de cadeia.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna