Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Paulo Cappelli

Estudante que questionou Zambelli relata à polícia ameaças de morte

Estudante diz ter sido ameaçado por bolsonaristas após questionar deputada Carla Zambelli em protesto pró-Bolsonaro em SP

atualizado 04/05/2022 15:41

Carla Zambelli e estudante Victor CarazzattoReprodução

O estudante Victor Carazzatto, xingado por bolsonaristas após questionar a deputada Carla Zambelli em um protesto no domingo (1º/5), relatou nesta quarta-feira (4/5) à Polícia Civil de São Paulo ter recebido ameaças de morte de bolsonaristas. O vídeo em que Carazzatto questiona Zambelli ganhou atenção depois de ter sido compartilhado por Sergio Moro.

“São mensagens dizendo para o declarante ficar esperto, que se fosse seu pai arrancar- lhe-ia as orelhas, que desovariam o declarante no Pacaembu, que lhe dariam um tiro na testa”, afirmou o boletim de ocorrência registrado pelo rapaz de 19 anos, que disse aos policiais ter áudios e mensagens ameaçadoras de “apoiadores do presidente Bolsonaro” no Instagram e no Twitter.

No domingo (1º/5), Carazzato foi a um protesto pró-Bolsonaro na Avenida Paulista e questionou Zambelli sobre o governo do presidente. Além de perguntar sobre a crise do oxigênio em Manaus no ano passado, quando o governo Bolsonaro priorizou remédios ineficazes para o estado, o estudante disse: “O Bolsonaro trocou a superintendência da Polícia Federal para proteger os filhos dele”.

Zambelli rebateu e incitou os policiais federais contra o jovem: “Olha só, policiais federais de todo o Brasil, ele está dizendo que vocês são vendidos, tá?”. Nesse momento, Carazzato passou a ser xingado por bolsonaristas ao redor de Zambelli e a conversa foi interrompida.

Poucas horas depois, o vídeo foi compartilhado por Sergio Moro, que acusou formalmente Bolsonaro de interferir na PF. “Rapaz corajoso. Dizer a verdade é um ato de coragem hoje em dia”, escreveu Moro. Zambelli, de quem Moro foi padrinho de casamento no início do governo Bolsonaro, retrucou: “Traíra lhe define”.

 

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna