Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

Polícia do Rio investiga influenciadora digital a pedido de Eduardo Bolsonaro

Eduardo Bolsonaro apresentou notícia-crime contra influenciadora digital Tininha Mattos por suposto atentado contra a segurança nacional

atualizado 15/10/2021 17:18

A blogueira Tininha Mattos e o deputado Eduardo BolsonaroMontagem com fotos de Reprodução/Twitter e Igo Estrela/Metrópoles

O deputado federal Eduardo Bolsonaro entrou com uma ação na esfera criminal da Justiça do Rio de Janeiro contra a blogueira Maria Cristina Fontes de Mattos, a Tininha Mattos, pela suposta prática dos crimes de ameaça e contra a segurança nacional. O caso está sob investigação na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI).

A influenciadora digital foi acionada judicialmente por ter publicado um vídeo na internet, no dia 16 de março, em que dizia ter perdido a oportunidade de esfaquear o presidente Jair Bolsonaro e Eduardo durante uma visita que eles fizeram ao seu local de trabalho. Após a repercussão do caso, ela afirmou que a postagem era uma brincadeira e que foi mal interpretada.

Disse a influenciadora na ocasião:

“Vocês estão vendo isso aqui? Isso são lágrimas. Toda a maldição para pobre é pouco. Eu cheguei atrasada no trabalho, e descobri que o Bolsonaro estava aqui com todos os filhos, e eu perdi a oportunidade de fazer o escândalo do século. Justamente hoje, hoje, que eu estou muito atacada, estou perfeita para fazer escândalo, eu perdi a oportunidade da minha vida. E eu ia fazer escândalo, e eu ia filmar, e eu ia dar outra facada no Bolsonaro, com faca de pão que eu ia roubar da copa daqui, provavelmente no Eduardo Bolsonaro, que é quem eu mais odeio, mas eu perdi essa oportunidade”, afirmou.

Eduardo já perdeu a causa na esfera cível. Inicialmente, o deputado pediu uma indenização de R$ 40 mil na Justiça do Distrito Federal. No dia 18 de agosto, a juíza Marília de Ávila e Silva Sampaio considerou o pedido improcedente. A defesa do deputado recorreu da decisão, mas a apelação foi rejeitada no último dia 11 por questões técnicas. Ainda assim, a defesa de Eduardo Bolsonaro vai apresentar um agravo, ou seja, um novo recurso.

A notícia-crime foi protocolada no Rio de Janeiro em 1º de setembro. Eduardo diz no pedido que a influenciadora poderia induzir os seguidores a cometer um crime e que, por ser pessoa pública, ele é “mais suscetível às diversas formas de violência, especialmente atentados dessa espécie”.

O deputado também cobra da blogueira uma indenização em função da “natureza e amplitude dos prejuízos morais e a constante ameaça que foi provocada à sua integridade física e à sua vida”.

O Ministério Público, por meio do promotor André Luis Cardoso, manifestou que “os fatos necessitam de apuração, até mesmo para se verificar a correta adequação típica das condutas”, e requisitou que a DRCI conduza o inquérito policial. A influenciadora ainda será intimada a prestar depoimento no caso.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna
Mais lidas