metropoles.com

Pacheco é pressionado a enviar medidas provisórias para a Câmara

Presidente da Câmara, Arthur Lira, se recusou a assinar ato conjunto para tramitação das medidas provisórias em comissões

atualizado

Compartilhar notícia

Igo Estrela/Metrópoles
Presidente do senado Rodrigo Pacheco durante Sessão de posse dos senadores eleitos eleição 2022 - Metrópoles
1 de 1 Presidente do senado Rodrigo Pacheco durante Sessão de posse dos senadores eleitos eleição 2022 - Metrópoles - Foto: Igo Estrela/Metrópoles

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, do PSD, está sendo pressionado por partidos do Centrão a enviar as medidas provisórias do governo Lula para começarem a serem analisadas pela Câmara dos Deputados.

Em 7 de fevereiro, o Senado assinou um ato para retomar as comissões mistas, em que deputados e senadores analisam conjuntamente as MPs. Como mostrou a coluna, Arthur Lira, presidente da Câmara, se recusou a endossar o ato conjunto. A Câmara não quer abrir mão do poder de barganha que tem sobre as MPs desde a pandemia.

Caso Pacheco aceite a pressão dos deputados federais para começar a analisar as MPs, cabe a ele enviar as medidas para começarem a tramitar na Câmara. Já há disputa entre os líderes pela relatoria das medidas provisórias de Lula, além de diversas sugestões de alterações.

Deputados apelaram até a Gilberto Kassab, presidente do PSD, para que ele converse com Pacheco e resolva o impasse. O partido é um dos maiores interessados na recriação da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), extinta pelo governo Lula através de uma MP.

Deputados querem também analisar a medida provisória que trata sobre desoneração de combustíveis. Em 28 de fevereiro, acaba a desoneração que deu alívio à tributação de etanol e gasolina no início do governo Lula.

Outra MP que deve sofrer alterações é a que determinou a composição dos ministérios de Lula. A bancada ruralista propôs a extinção do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) em uma das emendas.

Uma medida provisória é um ato legislativo com força de lei enviado pelo governo federal, mas que deve ser aprovada pelo Congresso Nacional em até 120 dias para ser convertida em legislação de forma permanente.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comGuilherme Amado

Você quer ficar por dentro da coluna Guilherme Amado e receber notificações em tempo real?