Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Paulo Cappelli

MP pede que TCU apure gastos com internações de Bolsonaro

Jair Bolsonaro ficou internado em janeiro; hospital e Presidência deram versões contraditórias sobre o pagamento das despesas

atualizado 18/01/2022 15:15

O presidente Jair Bolsonaro (PL) recebe alta do Hospital Vila Nova Star, nesta manhã de quarta-feira (04). O Presidente estava de férias no litoral de Santa Catarina e foi levado para São Paulo na madrugada de segunda-feira, onde ficou internado com uma obstrução intestinalFábio Vieira/Metrópoles

O Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União (TCU) pediu nesta terça-feira (18/1) que a corte apure os gastos com as internações hospitalares de Jair Bolsonaro. No início do mês, Bolsonaro foi internado em São Paulo com obstrução intestinal. O Hospital Vila Nova Star e a Presidência deram versões contraditórias sobre o pagamento das despesas.

“Os gastos com a saúde do presidente da República constituem despesas públicas e, como tal, devem primar pela transparência, o que não vem sendo observado pelos órgãos competentes”, escreveu o subprocurador-geral Lucas Rocha Furtado, em um documento enviado à presidente do TCU, ministra Ana Arraes. O ofício apontou que essas despesas têm “alta falta de transparência”.

O hospital e a Presidência divulgaram informações contraditórias sobre o pagamento da internação de Bolsonaro, como mostraram os repórteres Carolina Linhares e Joelmir Tavares. O Vila Nova Star, que internou o presidente quatro vezes desde 2019, afirmou que as despesas de janeiro foram pagas pelo Planalto. A Presidência, por sua vez, negou ter recebido a conta.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna