Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

Moraes cobra documentos de empresa de redes sociais contratada pelo PTB

Presidente do partido, Roberto Jefferson é alvo de investigações no STF e no TSE

atualizado 29/09/2021 18:01

O ministro Alexandre de Moraes cobrou notas fiscais e relatórios da empresa que presta serviços de redes sociais ao PTB, presidido por Roberto Jefferson. O documento foi assinado nesta terça-feira (28/9). Em outra frente, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) investiga se Jefferson usou a estrutura do PTB para disseminar fake news.

Segundo a decisão de Moraes, a empresa Rafaela Armani terá cinco dias para fornecer documentos detalhados sobre serviço prestado ao partido de Jefferson, incluindo o material produzido. Procurada, a empresária que dá nome à firma afirmou que foi notificada e entregará todas as informações ao Supremo.

No documento, Moraes mencionou que o TSE já apura se Jefferson usou o PTB para disseminar informações falsas nas redes sociais. Essa investigação tramita na Corregedoria-Geral Eleitoral.

No âmbito da investigação de que é alvo no Supremo, Jefferson está preso desde 13 de agosto, acusado de integrar uma organização criminosa digital para atacar a democracia.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna