Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

Partido de Roberto Jefferson critica recuo de Bolsonaro

Jefferson “não recua”, diz PTB; ex-deputado foi preso por ordem de Moraes, que para Bolsonaro passou de “canalha” a “jurista”

atualizado 09/09/2021 20:16

Fábio Vieira/Metrópoles

O PTB, partido comandado por Roberto Jefferson, criticou a nota de pacificação divulgada por Jair Bolsonaro nesta quinta-feira (9/9). Em dois dias, a avaliação de Bolsonaro sobre o ministro Alexandre de Moraes passou de “canalha” a “jurista”. Jefferson está preso há um mês por ordem de Moraes, a quem segue atacando da cadeia.

Em nota divulgada duas horas após o recuo de Bolsonaro, o partido afirmou que Jefferson “não se rende, não recua, não teme”. “Não se transige a tirania. Roberto Jefferson, líder petebista, paga um alto preço pela luta por liberdade e justiça”, afirmou o documento assinado por Graciela Nienov, vice-presidente do partido que lidera à sigla durante a prisão do ex-deputado.

Em 13 de agosto, quando foi preso por Moraes, Jefferson deixou claro a aliados que o comando do partido estava totalmente com a “Graci”, e que ela tinha carta branca para presidir a sigla.

Mais cedo, com ajuda do ex-presidente Michel Temer, Bolsonaro afirmou em um comunicado que nunca teve a “intenção de agredir” outros Poderes. Dois dias antes, no 7 de Setembro, ameaçou não cumprir mais decisões do Supremo.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna