Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

Leite diz a aliados que não pretende deixar governo para ser candidato

Em conversas com aliados, Leite afirma que vive o melhor momento do governo no Rio Grande do Sul e que não deve renunciar para ir ao Senado

atualizado 14/01/2022 14:05

Governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, saindo do STF após reunião sobre ICMS com a ministra Rosa VeberIgo Estrela/Metrópoles

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, tem dito em conversas com aliados do PSDB que não pretende se desincompatibilizar em abril para concorrer a outro cargo eletivo. Leite afirma que está no melhor momento da sua gestão e que não faria sentido renunciar no ano em que poderá deixar uma marca efetiva no estado.

Segundo relatos de tucanos, Leite diz que a pandemia lhe tirou dois anos do mandato e que seu principal feito até aqui foi reordenar as finanças do estado para pagar salários dos servidores em dia. O governador afirma que neste ano conseguirá entregar obras e avançar com projetos que terão um peso simbólico maior para a gestão.

Após ser derrotado por João Doria nas prévias, Leite foi desaconselhado a deixar o PSDB para concorrer ao Planalto por outro partido. Os conselheiros do governador alertaram que ele poderia passar a imagem de mau perdedor e queimar o capital político que conquistou.

Além de descartar o Senado, Leite afirma que não tentará a reeleição e que trabalhará para que o vice, Ranolfo Vieira Júnior, seja o sucessor no Palácio Piratini. Ranolfo deixou o PTB no ano passado e se filiou ao PSDB.

O entorno de João Doria permanece cético em relação aos planos de Leite e ainda aposta que ele sairá candidato ao Senado no Rio Grande do Sul.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna