Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

As previsões da velha guarda tucana para o PSDB com Doria candidato

Veteranos do PSDB acreditam que o partido estará mais à direita e que a Executiva Nacional sofrerá mudanças com a candidatura de João Doria

atualizado 05/12/2021 11:04

Hugo Barreto/Metrópoles

Há um clima de apreensão entre tucanos da velha guarda sobre como será a vida no PSDB com a candidatura de João Doria à Presidência. Na visão deles, o partido aos poucos perderá a imagem de defensor da social-democracia para se tornar uma sigla essencialmente de direita.

Os tucanos enxergam que o PSDB tentará se escorar num eleitorado que por muitos anos se identificou com o PFL, atual DEM. Em geral, são pessoas de visões conservadoras, mas que não defendem aventuras autoritária.

Causa arrepios na velha guarda a possibilidade de o apresentador José Luiz Datena ser o escolhido do partido para concorrer à vaga no Senado que é de José Serra.

Os veteranos também esperam que a Executiva Nacional sofra transformações profundas e que Bruno Araújo deixe a presidência do PSDB na próxima eleição interna, marcada para maio de 2022. Hoje, a maioria dos dirigentes não respalda Doria, e o governador de São Paulo precisa de uma Executiva favorável para levar o projeto presidencial adiante.

Doria também terá de se dedicar à preparação das chapas e dos palanques nos estados. Agora, cabe a ele e à direção do partido definir os candidatos que terão prioridade no horário eleitoral e como será distribuído o fundo partidário. Como ninguém acredita que Doria abrirá mão da candidatura em favor de outro político da terceira via, o dinheiro terá de ser repartido levando em conta a ambição do governador paulista de chegar ao Planalto.

0

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna