Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Paulo Cappelli

Kajuru não responde STF em queixa-crime movida por Luciana Gimenez

Apresentadora disse que senador cometeu crimes de injúria e difamação

atualizado 10/06/2021 0:25

Reprodução

O senador Jorge Kajuru, do Podemos de Goiás, não enviou explicações ao STF na queixa-crime que enfrenta, movida pela apresentadora Luciana Gimenez. Gimenez alegou, em uma live com a youtuber Antônia Fontenelle no fim de março, que Kajuru cometeu injúria e difamação ao chamá-la de “garota de programa” e “desqualificada, que virou o que virou por 30 segundos com o Mick Jagger” — uma referência ao relacionamento que a apresentadora teve com Jagger.

A postura do senador frente ao STF difere da que ele teve no Tribunal de Justiça de São Paulo, onde corre uma ação cível, de indenização por danos morais. Nela, Kajuru disse que sua afirmação poderia ser comprovada se fossem convocados para depor Mick Jagger, Keith Richards e Olavo de Monteiro Carvalho, empresário que deu a festa em que o astro e a brasileira teriam se conhecido, entre outros.

Em 28 de abril, a relatora do caso, Rosa Weber, deu 15 dias para que o senador se explicasse. Kajuru foi notificado por um oficial de Justiça em 17 de maio. Em 2 de junho, o STF registrou que não havia recebido resposta. Com o fim do prazo, Weber encaminhou o processo para manifestação da PGR.

Gimenez afirmou ao Supremo que Kajuru cometeu crimes contra sua honra por oito vezes durante a entrevista. Procurado, Kajuru não comentou.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna