Com Eduardo Barretto (interino), Bruna Lima, Eduardo Ghirotto e Paulo Cappelli

Ipespe: Lula segue 12 pontos à frente de Bolsonaro, agora estagnado

A estagnação de Bolsonaro veio depois de uma sequência de levantamentos, desde janeiro, em que o presidente registrava tendência de alta

atualizado 20/05/2022 10:59

Bolsonaro e LulaIsac Nóbrega/PR e Deputado Rosemberg

A terceira rodada de maio da pesquisa Ipespe, encomendada pela XP Investimentos, mostrou estabilidade no cenário da corrida presidencial. Tanto Lula (PT) quanto Jair Bolsonaro (PL) mantiveram a pontuação do levantamento da semana passada: o petista à frente com 44%, seguido pelo presidente, com 32%.

Na sequência, Ciro Gomes (PDT), que alcançou os mesmos 8% da última leitura, e João Doria (PSDB), que oscilou de 3% para 4%. André Janones (Avante) e Simone Tebet (MDB) mantiveram 2% cada, e o restante não pontuou.

Indecisos, brancos e nulos somaram 8%, o menor percentual desde setembro do ano passado.

A estagnação de Bolsonaro veio depois de uma sequência de levantamentos, desde janeiro, em que o presidente registrava tendência de alta. O atual chefe do Executivo pode, portanto, ter batido em seu teto.

No segundo turno, Bolsonaro e Lula oscilaram um ponto para menos, mantendo a diferença em 19 pontos em favor do petista, agora com o placar se 53% a 34%.

Foram feitas 1.000 entrevistas de abrangência nacional, nos dias 16, 17 e 18 de maio. A pesquisa está registrada no TSE sob o número BR-08011/2022. A margem de erro máxima é de 3,2 pontos percentuais.

Na pesquisa espontânea, quando o eleitor responde os nomes que vêm à cabeça, sem que o entrevistador apresente opções, Lula e Bolsonaro mantiveram as pontuações da semana anterior: 39% e 29%, respectivamente.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna