Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Naomi Matsui

Deputado pedirá à CPI prisão de Onyx

Governo Bolsonaro acionou PF, CGU e PGR contra Miranda e irmão, servidor que denunciou pressão por Covaxin ao MPF

atualizado 24/06/2021 17:43

Michel Jesus/Câmara dos Deputados

O deputado Luís Miranda, do DEM do Distrito Federal, afirmou nesta quarta-feira (23/06) que pedirá à CPI da Covid a prisão de Onyx Lorenzoni. Mais cedo, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência disse que o governo mandou a PF investigar o deputado e seu irmão, Luis Ricardo Miranda, servidor que denunciou ao MPF irregularidades na compra da vacina Covaxin.

“Solicitei que a CPI peça a prisão do Onyx por coação de testemunha”, afirmou Miranda.

Na próxima sexta-feira, os irmãos Miranda falarão à CPI da Covid. “Entreguei com meu irmão a denúncia ao presidente Jair Bolsonaro em 20 de março, que nos mandou aguardar. Se no dia 24 alguém alterou os documentos, o presidente sabia de tudo e os envolvidos também”, acrescentou o parlamentar. A denúncia foi revelada pelo colunista Caio Barbieri, do Metrópoles.

Em pronunciamento no Planalto mais cedo, Lorenzoni apontou indícios de adulteração nos documentos do processo de compra da Covaxin. Segundo o ministro, Bolsonaro determinou que a PF investigue as declarações do deputado Luís Miranda e as atividades de seu irmão, chefe de importação do Departamento de Logística em Saúde do Ministério da Saúde.

Lorenzoni também anunciou que o governo acionará a CGU e a PGR, esta para apurar se os irmãos cometeram denunciação caluniosa e fraude processual, além de prevaricação por parte do servidor. “Vai ter que pagar, vai ter que se ver conosco”, disse Onyx, referindo-se ao deputado, seu correligionário no DEM.

Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna