Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Paulo Cappelli

Deputado aciona PGR contra parceria de ministério com app evangélico

Aplicativo traz curso "Tornando Deus e Sua Palavra uma prioridade" e podcast "O Senhor é o meu Pastor". Ministério assinou acordo em agosto

atualizado 24/01/2022 10:57

ministros da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, durante coletiva sobre o combatministros da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, durante coletiva sobre o combate ao desmatamento ilegal e ao desmatamento ilegalIgo Estrela/Metrópoles

O deputado Ivan Valente, do PSol de São Paulo, pediu que a PGR investigue o Ministério da Justiça por ter fechado uma parceria com um app evangélico para servidores. Na sexta-feira (21/1), a coluna mostrou que a pasta assinou, em agosto, na gestão do atual ministro, Anderson Torres, um acordo com entidade religiosa denominada Ministérios Pão Diário.

Um dos produtos da organização, o aplicativo “Pão Diário — Segurança Pública” fala exclusivamente da religião cristã, e oferece cursos como “Tornando Deus e Sua Palavra uma prioridade” e “Aprendendo a orar”. Um dos programas de podcast foi batizado de “O Senhor é o meu Pastor”. Há ainda um plano de leitura intitulado “Deus me ouve”.

“O Brasil é um Estado laico. Sendo assim, não deve haver vinculação entre o poder público e determinada igreja ou religião”, escreveu Valente, classificando a medida do ministério de “grave violação à liberdade de consciência e crença”.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna