metropoles.com

Campanha de Damares repassou R$ 250 mil do Fundão a empresa de sua sucessora no ministério

Sucessora de Damares no Ministério dos Direitos Humanos, ministra Cristiane Britto é dona de empresa que recebeu R$ 1 milhão do Republicanos

atualizado

Compartilhar notícia

Reprodução
Damares Alves e Cristiane Britto
1 de 1 Damares Alves e Cristiane Britto - Foto: Reprodução

A campanha de Damares Alves, ex-ministra dos Direitos Humanos e candidata ao Senado no Distrito Federal, repassou R$ 250 mil do Fundo Eleitoral para a empresa de sua sucessora na pasta, a ministra Cristiane Britto, supostamente em virtude de serviços prestados para a candidatura. Britto era secretária da Mulher desde 2019 e assumiu o ministério quando Damares se desincompatibilizou.

Os supostos pagamentos por serviços jurídicos foram feitos em duas prestações: R$ 125 mil no último dia 25, e outros R$ 125 mil em 30 de agosto. Como as receitas de campanha de Damares vêm do Republicanos, trata-se de dinheiro público. Segundo registros da Receita Federal, a firma sediada em Brasília tem como únicos donos a ministra Cristiane Britto, que ganha um salário de R$ 31 mil do governo federal, e seu marido, o ex-desembargador eleitoral Flávio Britto.

O escritório Flávio Britto e Cristiane Britto Advocacia já recebeu R$ 1 milhão de candidatos nesta campanha. Todos são do Republicanos. A lista inclui Douglas Garcia, candidato a deputado federal por São Paulo que na terça-feira (13/9) atacou uma jornalista durante um debate. Os maiores repasses vêm do próprio partido: R$ 600 mil do diretório paulista e R$ 85 mil do diretório nacional.

Em julho, durante uma viagem oficial do Ministério dos Direitos Humanos ao lado da mulher, o ex-desembargador Flávio Britto, casado com a atual ministra, gravou um vídeo rindo e repetindo a expressão “CPF cancelado”, usada para celebrar assassinatos cometidos pela polícia.

Procurada, Damares Alves negou haver conflito de interesse. “O marido dela [Cristiane Britto] é advogado do Republicanos, um dos melhores de Brasília. Cristiane também era advogada do partido. Não vejo conflito”. O escritório afirmou que “não há qualquer impedimento legal ou conflito ético” na contratação. Procurado, o Ministério dos Direitos Humanos afirmou que a ministra se desvinculou da empresa quando entrou para o ministério. Na Receita Federal, contudo, a ministra consta como dona da companhia.

(Atualização às 10h37 de 17 de setembro de 2022: Em nota, a campanha de Damares Alves afirmou que o escritório tem “19 anos de trabalho de excelência em direito eleitoral” e presta serviços para 166 candidatos em São Paulo. “A seriedade e credibilidade de seu trabalho são reconhecidas no meio jurídico e em toda a sociedade”.)

(Atualização às 15h18 de 19 de setembro de 2022: Em nota enviada à coluna após a publicação da reportagem, a ministra Cristiane Britto afirmou que se afastou de todas as atividades do escritório de advocacia em 2019, quando entrou no Ministério dos Direitos Humanos. Britto disse que o dinheiro recebido pelo contrato com a ex-ministra e candidata ao Senado Damares Alves é “fiscalizável e rastreável”. “Todo e qualquer serviço de natureza jurídica, como o que é mencionado, precisa ser declarado à Receita Federal do Brasil e na prestação de contas dos candidatos ou partidos e, portanto, é tributável e fiscalizável. O dinheiro é pago por trabalho, comprovadamente, realizado. É honesto e rastreável”. No comunicado, a ministra afirmou ainda que “tem um passado limpo e um presente de enfrentamento às injustiças”, e que é uma “mãe de família que se encontra no exercício de função pública”.)

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comGuilherme Amado

Você quer ficar por dentro da coluna Guilherme Amado e receber notificações em tempo real?