Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Paulo Cappelli

Coronel dirá à CPI que conversa com PM visava à compra privada de vacina

Marcelo Blanco diz que seu principal objetivo era obter informações sobre a compra de imunizantes para empresas

atualizado 09/07/2021 16:36

Marcelo BlancoReprodução/TV Câmara

O tenente-coronel Marcelo Blanco, que atuou como diretor substituto de Logística do Ministério da Saúde, afirmou à coluna que, quando for convocado para depor à CPI, tentará provar que seu maior interesse nas conversas com o PM Luiz Paulo Dominguetti, que se dizia intermediário da AstraZeneca, era articular um projeto para a compra privada de vacinas.

Blanco alega que pretendia desenhar o projeto porque conhecia vários players com interesse em obter os imunizantes. Segundo o tenente-coronel, as conversas giravam em torno desse eixo, mas Dominguetti aproveitava o fato de Blanco trabalhar no Ministério da Saúde para perguntar a ele o motivo para a demora na liberação da documentação da empresa na pasta federal.

O militar diz já estar reunindo as mensagens envolvendo as negociações para aquisição de vacina, e ressalta que as apresentará à CPI, quando necessário.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna