Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Paulo Cappelli

Como será a campanha de Marcelo Freixo em áreas de milícia no Rio

Freixo é escoltado por seguranças do Estado e já recebeu diversas ameaças de morte vindas de milícias

atualizado 15/02/2022 21:55

Freixo

Marcelo Freixo, pré-candidato do PSB ao governo do Rio de Janeiro, vai apostar na comunicação digital com a população que vive em territórios dominados por milícia. A área representa 57% de todo o estado, segundo o Mapa dos Grupos Armados do Rio de Janeiro de 2021.

A equipe de Freixo elegeu como uma missão de campanha alcançar os moradores de áreas dominadas por milicianos. O pré-candidato avalia que conseguirá ir a alguns bairros desse perfil com certa segurança, contando com a visibilidade trazida por uma campanha ao governo estadual.

Freixo é escoltado por seguranças do Estado e já recebeu diversas ameaças de morte. Em 2008, o então deputado estadual comandou a CPI das Milícias na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. O trabalho da comissão levou à prisão de 246 milicianos no estado.

Em 2018, logo após a morte da vereadora Marielle Franco, a Polícia Civil do Rio de Janeiro interceptou um plano da milícia para matar Freixo. O plano dos criminosos era assassinar o parlamentar em uma agenda oficial em Campo Grande (RJ), área dominada pela milícia que é suspeita de ter envolvimento no assassinato de Marielle.

O Mapa dos Grupos Armados do Rio de Janeiro, que mapeou a ocupação da milícia no Rio de Janeiro, foi elaborado pela Universidade Federal Fluminense, a Universidade de São Paulo, o projeto Fogo Cruzado, o Disque Denúncia e o Pista News Data.

0

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna