Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Paulo Cappelli

Com voto brasileiro, Corte Interamericana é contra indulto de Fujimori

O juiz Rodrigo Mudrovitsch, da Corte Interamericana de Direitos Humanos, foi um dos magistrados a se posicionar pela manutenção da prisão

atualizado 31/03/2022 11:28

DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO

O magistrado brasileiro na Corte Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), Rodrigo Mudrovitsch, foi um dos juizes a votar pela suspensão do indulto humanitário que liberaria o ex-ditador do Peru, Alberto Fujimori.

A decisão liminar foi tomada ontem (30/3) pela CIDH e pede que o Peru não libere Fujimori até uma decisão final do tribunal. O presidente do Peru, PEdro Castilho, já disse formalmente que cumprirá a decisão da Corte.

Fujimori obteve um indulto humanitário do ex-presidente do país andino Pedro Paulo Kucinsky em 2017. Na época, PPK, como era conhecido, tentava assegurar o apoio dos fujimoristas para escapar do impeachment. PPK acabaria afastado do poder mesmo assim.

Desde então, o Judiciário peruano tem debatido se o indulto seria legal já que Fujimori está preso por crimes contra a humanidade. Ele foi condenado devido a massacres que ocorreram durante o seu governo.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna