Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto e Eduardo Barretto

Castro gastou R$ 359 mil em postos de gasolina de preso por organização criminosa

Fernando Trabach, denunciado pelo MPRJ por organização criminosa, é amigo de Rodrigo Bacellar e teve o ex-secretário como advogado

atualizado 05/10/2022 11:27

Claudio Castro, governador do Rio de Janeiro - Metrópoles Aline Massuca/ Metrópoles

O governador Cláudio Castro, reeleito no Rio de Janeiro, gastou R$ 359.100 em postos de gasolina de propriedade do empresário Fernando Trabach, preso em 2017 por liderar, segundo o Ministério Público do estado, uma organização criminosa. Trabach é amigo do ex-secretário de Governo de Castro, o deputado Rodrigo Bacellar, por quem foi defendido quando estava preso.

A Operação Caça-Fantasmas, deflagrada pelo MP do Rio em junho de 2017, denunciou Trabach e outras onze pessoas pelo crime de organização criminosa, falsidade ideológica e sonegação fiscal. Trabach é apontado pelo órgão como o líder da quadrilha.

O empresário foi solto poucos dias depois por firmar um acordo de delação premiada com o MP do Rio. Alguns meses após sua soltura, contudo, Trabach foi alvo de outra operação do órgão e foi preso novamente.

Segundo a prestação de contas de Castro, divulgada no Tribunal Superior Eleitoral, no dia 15 de agosto de 2022, a campanha gastou R$ 478 mil reais com combustível em 12 postos de gasolina. Desses, nove são de Trabach.

O valor que foi gasto é o suficiente para comprar mais de 85 mil litros de gasolina de acordo com a média de preço do combustível em agosto.

 

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
Publicidade do parceiro Metrópoles 5
Publicidade do parceiro Metrópoles 6
Publicidade do parceiro Metrópoles 7
0

 

Procurado pela coluna, a campanha do governador disse que a escolha dos postos de gasolina leva em consideração “a logística planejada para o deslocamento das equipes de mobilização” e não se posicionou sobre a relação do principal secretário de Castro com o dono dos postos de combustível.

A campanha informou também, sem datalhar os estabelecimentos, que o valor gasto com combustível foi R$ 307 mil e que o valor apresentado ao TSE eram projeções empenhadas por contratos, que já foram rescindidos.

À coluna, Fernando Trabach informou que seus postos de gasolina foram escolhidos para fornecer combustível para a campanha do governador reeleito. Contudo, segundo o empresário, o abastecimento ocorreu durante 45 dias e não apenas em um, conforme informado pela prestação de contas de Castro ao TSE.

“Comercializamos combustível para a campanha do candidato Cláudio Castro, assim como fazemos diariamente para diversos outros clientes, sendo observadas todas as legislações vigentes, inclusive eleitoral”, disse Trabach.

O deputado Rodrigo Bacellar disse em nota à coluna que “as questões jurídicas envolvendo a atividade empresarial de Trabach estão sendo tratadas por outra banca de advogados”.

“Fui advogado de Fernando Trabach, tendo desenvolvido relação de amizade com ele. Quanto às contratações para fornecimento de bens e serviços para campanha eleitoral, é importante frisar serem as mesmas objeto de controle pela justiça eleitoral, que registra e divulga todos os documentos inerentes às prestações de contas”, afirmou Bacellar.

(Atualização às 11h30 de 5 de outubro de 2022: Em nota, a coligação de Claudio Castro afirmou: “A Coligação Rio Unido e Mais Forte esclarece que a despesa total com combustíveis, de todos os veículos utilizados na campanha do governador eleito Cláudio Castro, foi de R$ 307 mil. O valor de R$ 478 mil se refere a estimativas de gastos, cujos contratos foram readequados. Vale ressaltar ainda que os valores serão apresentados na prestação de contas final da campanha.”)

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna