Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

Campanha de Doria aciona polícia contra vazamento de WhatsApp

Auxiliares de João Doria registraram um boletim de ocorrência para que seja investigada suposta invasão hacker no WhatsApp

atualizado 27/10/2021 18:51

Fábio Vieira/Metrópoles

A campanha de João Doria nas prévias do PSDB registrou nesta quarta-feira (27/10) um boletim de ocorrência na Polícia Civil de SP contra o vazamento de conversas de um grupo de WhatsApp destinado à discussão de estratégias de campanha.

A denúncia de invasão de dispositivo informático foi feita pelo coordenador da campanha, Wilson Pedroso. A Delegacia de Crimes Cibernéticos no DEIC (Delegacia Estadual de Investigações Criminais) investigará o caso.

O boletim de ocorrência menciona que o grupo conta com 16 pessoas e tem a função de “definir estratégias e também planejar ações da campanha das prévias, incluindo a realização de encontros, viagens e eventos em todos os Estados brasileiros”.

Em nota, a campanha de Doria diz que foi surpreendida com a divulgação dos prints pela coluna.

Na conversa, os auxiliares do governador discutem a decisão do presidente do PSDB, Bruno Araújo, de levar a análise da denúncia sobre as filiações de 92 prefeitos e vice-prefeitos em São Paulo para a comissão de prévias. Integrantes da campanha mostraram preocupação com uma derrota na análise do caso pela comissão.

“Embora o teor das conversas divulgadas ilegalmente nada tenham de comprometedor, lamenta-se que, no ambiente, online episódios como esses sejam recorrentes e devem ser combatidos em sua origem”, disse a campanha de Doria. “O coordenador-geral da campanha de Doria, Wilson Pedroso, lamenta que as prévias tenham chegado a um clima tão belicoso e reitera seu compromisso com eleições limpas, democráticas e que se ganhe no voto.”

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna