Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

Apuração preliminar da PGR contra Jair Bolsonaro completa um ano

Augusto Aras tem sido criticado por lentidão em processos envolvendo Bolsonaro; ministros do STF expressaram insatisfação publicamente

atualizado 08/01/2022 19:48

A posse do novo procurador-geral da República, Augusto Aras, na manhã desta quarta-feira (2/10), foi bastante prestigiada. Presentes várias autoridades, como o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), e o chefe do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli.Hugo Barreto/Metrópoles

Um ano depois, a PGR ainda não concluiu uma apuração preliminar contra Jair Bolsonaro por causa da crise da Covid no Amazonas. Em janeiro de 2021, dezenas de pacientes no Amazonas e também no Pará morreram por falta de oxigênio hospitalar na luta contra a Covid. Os corpos tiveram de ser enterrados em valas comuns, tamanha a velocidade das mortes por asfixia.

Uma apuração preliminar é uma investigação sigilosa da PGR que pode reunir indícios de crimes de alguma autoridade com foro privilegiado. Se isso acontecer, a apuração serve de justificativa para pedir a abertura de um inquérito. Nesse caso, o processo contra Bolsonaro tramitaria no STF.

Indicado e reconduzido por Jair Bolsonaro sem estar nas listas tríplices da PGR, o procurador-geral da República, Augusto Aras, tem sido criticado pela lentidão para investigar supostos crimes do presidente. No fim do ano, a CPI da Pandemia pediu que a PGR indicie Bolsonaro por nove crimes, inclusive epidemia com resultado morte. Essa solicitação também está na PGR, sem definição.

A insatisfação com Aras foi verbalizada por ministros do Supremo recentemente. Em outubro, Cármen Lúcia mandou o PGR explicar o que faria sobre as falas golpistas de Bolsonaro no 7 de Setembro. Em dezembro, Alexandre de Moraes deu 24 horas para Aras compartilhar com a corte uma apuração preliminar que investigava mentiras de Bolsonaro sobre a vacina da Covid. Em seguida, Moraes abriu um inquérito por conta própria.

0

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna