Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Paulo Cappelli

André atropela regra de combate à lavagem em decisão sobre Bolsonaro

Ministro do STF, André Mendonça rejeitou pedido de Randolfe Rodrigues para apurar compra de imóveis e bloquear contas de Bolsonaro

atualizado 24/09/2022 18:38

Bolsonaro_André Mendonça Rafaela Felicciano/Metrópoles

O ministro André Mendonça rejeitou um pedido de Randolfe Rodrigues para que fossem apurados supostos crimes cometidos por Jair Bolsonaro e sua família na compra de imóveis em dinheiro vivo. Ao fazer isso, o ministro, que, antes de ir trabalhar para Bolsonaro, tinha a bandeira de combate à corrupção como um norte, deu as costas para uma regra básica do enfrentamento da lavagem de dinheiro. A compra de imóveis ou outros bens de alto valor em dinheiro vivo é considerada por especialistas um forte indício da origem escusa dos recursos.

Randolfe havia pedido “o bloqueio de contas e a busca e apreensão dos telefones celulares e computadores utilizados, a sua perícia e a imediata publicidade sobre os conteúdos que digam respeito ao manifesto interesse público”.

Ao justificar a negativa, Mendonça afirmou que a reportagem que revelou as compras dos imóveis não apontou cometimento de crimes por Bolsonaro e familiares, e que “não há qualquer indício ou meio de prova minimamente aceitável que noticie ou demonstre eventual ocorrência de práticas ilícitas.”

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna