Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Naomi Matsui

Aécio Neves não participou de reunião em que PSDB se declarou oposição

Deputado não foi visto em nenhum momento no encontro virtual 

atualizado 08/09/2021 20:58

ANDRÉ DUSEK/ESTADÃO CONTEÚDO/AE

O deputado federal Aécio Neves não participou da reunião em que o PSDB decidiu se declarar oposição ao governo de Jair Bolsonaro. O encontro virtual teve mais de três horas de duração e reuniu 56 tucanos.

Aécio esteve representado por aliados próximos, como o deputado mineiro Paulo Abi Ackel. Com apoio de Rodrigo de Castro, o líder do partido na Câmara, o grupo de deputados mais próximo ao bolsonarismo fez força para que o PSDB não decretasse apoio ao impeachment nesta reunião.

Dirigentes do PSDB afirmam que a convocatória para a reunião foi feita a todas as lideranças do partido porque uma decisão tomada pela bancada da Câmara teria cunho oposto ao desejado. O temor era que a sigla se comportasse de forma semelhante à ocasião do voto impresso, quando quatorze dos 31 deputados endossaram o projeto bolsonarista.

Ao fim da reunião, o deputado paulista Carlos Sampaio conseguiu incluir na versão final da nota divulgada ao público uma crítica ao “modelo político e econômico petista” que, segundo o PSDB, “também [é] responsável pela profunda crise que enfrentamos”. Sampaio foi um dos artífices do impeachment de Dilma Rousseff dentro da sigla.

Apesar da crítica ao petismo, houve quem sinalizasse para a necessidade de unir forças diante das ameaças golpistas de Bolsonaro. O deputado paraibano Pedro Cunha Lima disse que se arrependeu da crítica que fez a Tasso Jereissati após o encontro do senador com Lula e afirmou que é necessário um diálogo maior com outras vertentes políticas.

Os tucanos favoráveis ao impeachment apostam que Bolsonaro não irá moderar o discurso e querem organizar uma nova reunião para daqui três semanas. Eles acreditam que poderão ampliar a pressão sobre outros quadros da sigla caso o presidente consiga agravar ainda mais a crise institucional.

Após a publicação da nota, a assessoria de Aécio Neves entrou em contato e informou que o deputado considerou correta a decisão tomada pela Executiva Nacional do PSDB.

Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna