Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Paulo Cappelli

A estratégia do Podemos para que Sergio Moro tenha um palanque em SP

O Podemos quer costurar o apoio a Rodrigo Garcia com a liberdade para lançar uma candidatura avulsa ao Senado por São Paulo

atualizado 24/03/2022 9:54

sergio moroRafaela Felicciano/Metrópoles

O Podemos informou ao PSDB que só apoiará a campanha do tucano Rodrigo Garcia ao governo de São Paulo se receber autorização para lançar uma candidatura avulsa ao Senado. Foi a saída encontrada pelo partido a fim de criar um palanque para Sergio Moro no maior colégio eleitoral do país.

O apoio a Garcia dependeria da retirada da pré-candidatura de Renata Abreu ao governo estadual. A presidente do Podemos colocou o nome à disposição após a desistência de Arthur do Val, mas a entrada de Renata na disputa foi interpretada como uma forma de o partido ganhar força para negociar o espaço na chapa de Garcia.

Se o acordo com Garcia for concretizado, o deputado estadual Heni Ozi Cukier será o candidato do Podemos ao Senado. Ele se filiou ao partido na semana passada e está cumprindo agendas políticas com Moro na Alemanha.

Moro enfrenta um impasse em São Paulo desde o vazamento dos áudios sexistas que minaram o projeto de Arthur do Val. A candidatura avulsa ao Senado seria uma forma de reconstituir o palanque no estado onde o ex-juiz prevê um crescimento de intenções de voto para os próximos meses.

Garcia indicou a formação da chapa majoritária com o apresentador José Luiz Datena, do União Brasil, como o candidato ao Senado. O tucano negocia o posto de vice-governador com o MDB.

0

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna