Observadora do cenário político do DF, lança luz nos bastidores do poder na capital.

Sinpro diz que não haverá aula em 3/11; pais discordam de sindicato

Sinpro convoca professores, pais e alunos para paralisação em protesto contra retomada das atividades 100% presenciais, determinada pelo GDF

atualizado 01/11/2021 18:16

Escola privadaRafaela Felicciano/Metrópoles

O Sindicato dos Professores no Distrito Federal (Sinpro-DF) orienta pais e responsáveis de alunos de escolas públicas a não levarem os estudantes aos colégios nesta quarta-feira (3/11), após convocarem paralisação da categoria. Porém, a Associação de Pais e Alunos das Instituições de Ensino do DF (Aspa-DF) é a favor das aulas neste dia.

O Sinpro protesta contra a volta 100% presencial das aulas, marcada também para quarta-feira. Diretor da entidade, Samuel Fernandes disse à coluna que espera a união de alunos, pais e professores contra a retomada das atividades inteiramente presenciais.

“Não temos condições para o retorno 100% presencial. Ainda estamos vivendo uma pandemia. Não tem como fazer distanciamento nas salas de aula, que são superlotadas. A ventilação é inadequada e os alunos não foram vacinados. Não há testagem nas escolas, apenas promessas. São mais de 500 mil famílias em risco”, afirmou.

O Sinpro-DF marcou um ato em frente à Secretaria de Educação do DF, no Setor Bancário Norte, para 9h. No site, a entidade reforça: “Dia 3 de novembro não haverá aula nas escolas públicas do DF”.

O presidente da Aspa-DF, Alexandre Veloso, disse que a associação “entende que os alunos precisam ser recepcionados na escola, e que qualquer movimento de greve neste momento só prejudica os mais vulneráveis: os alunos”.

“Todos os alunos têm direito à educação. A educação é a única maneira dos alunos terem uma perspectiva de uma vida livre da pobreza e mais participação nas decisões da sua comunidade. Ninguém tem o direito de negar a eles uma educação pública de qualidade. Por isso, somos favoráveis que a educação seja considerada essencial, para que situações dessas não ocorram à revelia da comunidade de alunos”, afirmou à coluna.

Ao contrário do Sinpro-DF, a Secretaria de Educação disse que as aulas estão mantidas para quarta-feira. “A secretária de Educação, Hélvia Paranaguá, acompanhará a retomada das aulas 100% presenciais no Jardim de Infância 04, do Gama, na manhã da quarta-feira, 3 de novembro. Na ocasião, ela estará disponível para falar com a imprensa”, informou a pasta.

Protocolos

Na sexta-feira (29/10), o governador Ibaneis Rocha (MDB) reagiu à convocação do Sinpro-DF para paralisação dos professores. “Está no direito dele”, disse.

A Secretaria de Educação e a Secretaria de Saúde anunciaram as ações preventivas para a normalização das aulas de 460 mil estudantes. Entre as medidas, estão o acompanhamento em tempo real de casos de Covid-19 e limitação no fluxo de pessoas com acesso às escolas.

As aulas presenciais na rede pública da capital federal foram suspensas em 2020. Em 2021, as atividades foram retomadas, de forma híbrida.

Mais lidas
Últimas notícias