Observadora do cenário político do DF, lança luz nos bastidores do poder na capital.

Justiça determina que Hospital de Base retome quimioterapias em cinco dias

Decisão também diz que reabastecimento dos estoques dos medicamentos utilizados no tratamento contra o câncer deve ocorrer no mesmo período

atualizado 12/11/2020 21:38

Hospital de BaseRafaela Felicciano/Metrópoles

A 5ª Vara da Fazenda Pública e Saúde do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) determinou, nesta quinta-feira (12/11), que o Instituto de Gestão Estratégica de Saúde (Iges-DF) reabasteça os estoques de medicamentos quimioterápicos e retome o tratamento de pacientes com câncer atendidos pelo Hospital de Base, no prazo de cinco dias.

Na sentença, o juiz Henaldo Silva Moreira considera como “injustificável” o desabastecimento das medicações necessárias para o tratamento contra o câncer e destacou que a falta dos quimioterápicos “resultou em pelo menos 65 interrupções de tratamento, sem contar naqueles que deixaram de ser iniciados”.

“A ausência de razoabilidade e proporcionalidade do desabastecimento do estoque de fármacos, repito, para tratamento de doença grave e potencialmente letal transcende o mérito administrativo e, por isso, se caracteriza como ilegalidade, passível de controle judicial”, pontuou o magistrado.

O juiz determinou ainda que, no mesmo prazo, o Iges-DF e o Governo do Distrito Federal (GDF), de forma solidária, apresentem cronograma do atendimento dos pacientes com câncer. A ação foi movida pela Defensoria Pública do Distrito Federal.

Metrópoles mostrou o drama de quem depende dos medicamentos. Em plena campanha do Outubro Rosa, contra o câncer de mama, a carência dos insumos prejudicou diversas pessoas com a doença. Ao investigar o caso, a Defensoria Pública do DF descobriu o risco iminente de desabastecimento de mais de 60% dos quimioterápicos.

O Iges-DF informou, por meio de nota, que “já foram reabastecidos os estoques dos medicamentos doxorrubicina e docetaxel no Hospital de Base”. “Com a reposição dos remédios, o Hospital de Base criou uma força-tarefa para ampliar de 45 para 55 o número de quimioterapias realizadas diariamente. E todos os pacientes que estavam aguardando a chegada dos quimioterápicos foram convocados pelo Hospital de Base”, concluiu o texto.

Mais lidas
Últimas notícias