Observadora do cenário político do DF, lança luz nos bastidores do poder na capital.

Crianças serão vacinadas contra Covid dentro das escolas no DF

O governador em exercício do DF confirmou que a campanha de vacinação infantil começa neste domingo em postos pré-definidos

atualizado 14/01/2022 20:37

O Governo de São Paulo inicia nesta sexta-feira (14), a vacinação do público infantil contra COVID-19, na faixa etária de 5 a 11 anos. O Governador João Doria (PSDB) acompanha o ato, realizado no Hospital das Clínicas – HCFMUSP. A expectativa do Governo de SP é vacinar 4,3 milhões de crianças no período de três semanas. Foto: Fábio Vieira/MetrópolesFábio Vieira/Metrópoles

O governador em exercício do Distrito Federal, Paco Britto (Avante), e o secretário de Saúde, general Manoel Pafiadache, anunciaram que crianças serão vacinadas contra a Covid-19 dentro das escolas. A ideia é levar o imunizante para onde está o público-alvo a fim de que a cobertura vacinal seja mais alta.

Covid-19: o que se sabe até agora sobre a vacinação de crianças

0

Campanha terá 11 pontos de vacinação de crianças no DF no domingo

Veja como a Covid-19 age no nosso organismo:

0

Os detalhes serão apresentados na quarta-feira (19/1). “Faremos uma coletiva com o objetivo de apresentar o plano de vacinação para a abertura das escolas, que será em 14 de fevereiro. É a vacina indo ao encontro do nosso estudante”, disse o secretário. As informações foram repassadas nesta sexta-feira (14/1), durante coletiva sobre a abertura de novos leitos de UTI para pacientes com Covid-19.

O Paco Britto afirmou ainda à coluna que “o plano será feito pro região escolar”.

Por enquanto, a campanha de vacinação infantil começa às 8h deste domingo (16/1), nos 11 pontos de imunização anunciados pela Secretaria de Saúde.

Mais cedo, a Grande Angular mostrou que o governador Ibaneis Rocha (MDB) conversou com o governador em exercício, Paco Britto (Avante), e pediu que o seu substituto faça cumprir a determinação de abertura imediata de mais leitos de tratamento intensivo.

Com o crescimento do número de infectados pela variante Ômicron, além do surto de influenza e do aumento de casos de dengue, o nível de ocupação nos leitos de UTI voltou a 81%, o que ocorreu no auge da pandemia e é considerado um patamar já alarmante.

Mais lidas
Últimas notícias