As curiosidades, tendências e novidades do mundo pet

Outubro Rosa para pets: tumor mamário é comum entre cães

Em animais, existe a possibilidade de um nódulo benigno evoluir para um tumor maligno. O tratamento precoce é essencial

atualizado 10/10/2019 22:13

Reprodução/Unsplash

Neste mês, os holofotes se voltam para o combate ao câncer de mama, com a campanha mundial Outubro Rosa. Infelizmente, a neoplasia mamária também atinge animais e é o tipo de tumor mais comum entre as cadelas. Na maioria das vezes, esse tipo de câncer se apresenta de forma maligna. Cães adultos e idosos não castrados têm mais chance de desenvolver a doença.

O mais aconselhável é que os tutores levem os pets para uma avaliação nas mamas com médicos-veterinários. Cada caso deve ser avaliado individualmente, pois  tumores mamários têm características muito diferentes entre os cães. A veterinária Camila Maximiano, da Clínica Pompeu, conta que os tutores podem fazer uma “avaliação” prévia.

“Os tutores podem perceber com antecedência fazendo um exame nas mamas dos próprios animais. Basta apalpar cuidadosamente, até mesmo durante os momentos de carinho no abdômen. Caso sinta qualquer nódulo, por mais pequeno que possa aparentar, o dono deve relatar ao médico veterinário para que o diagnóstico seja realizado o mais cedo possível.”

A veterinária conta que, em animais, existe a possibilidade de um nódulo benigno evoluir para um tumor maligno. O tratamento precoce é essencial para aumentar a expectativa de vida do pet. Na opinião da profissional, a forma de prevenção desse tipo de câncer em pets é a castração.

“Nos animais, o desenvolvimento de neoplasias mamárias está intimamente relacionado a hormônios sexuais. Por isso, a prevenção se baseia na castração, de modo a cessar os estímulos intensos desses hormônios.”

A profissional alerta que a história de que cadelas precisam ter filhotes para prevenir o câncer é apenas um mito, pois “isso não impede ou diminui as chances delas terem câncer de mama”.

Camila alerta que vacinas anticoncepcionais aumentam drasticamente as chances do surgimento de nódulos nas mamas.

“Hoje, indicamos a castração, entre o primeiro e segundo cio, para que haja total desenvolvimento no corpo dessas fêmeas, mas garantindo mínimas chances de terem tumor de mama”, recomenda.

Uma vez diagnosticada a neoplasia mamária, o mais indicado é a cirurgia, mas, em alguns casos, pode ser necessário associação com quimioterapia antineoplásica ou realizá-la isoladamente, quando não for possível o procedimento cirúrgico.

O oncologista veterinário é o mais indicado para avaliar quais as possibilidades para o seu animal. “O câncer de mama em cadelas e gatas é uma doença frequente e grave, que não deve ser subestimada. A prevenção é o melhor caminho”, finaliza.

Mais lidas
Últimas notícias