A peleja de Moro x Greenwald no centro do Roda Viva

A democracia, tão maltratada em alguns momentos pelo governo Bolsonaro, iria ficar felizona da silva com um embate desse nível

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 15/01/2020 10:38

A peleja do ex-juiz Sergio Moro x jornalista Glenn Greenwald daria até um cordel com a marca de Arievaldo Viana, este cearense conterrâneo de Antônio Conselheiro (Quixeramobim) e um dos grandes nomes do gênero literário no momento. A audiência seria recorde. A democracia ganharia também alguns pontos no país polarizado em que o “lacre” tomou o lugar do debate político.

O duelo retórico da Lava Jato x Vaza Jato não é fantasia deste cronista. Surgiu no Twitter — esta pracinha de interior onde batemos boca em sucessivas tretas, vemos TV juntos em um gigantesco sofá coletivo e ainda nos divertimos com algumas bobagens.

O desejo democrático por um encontro Moro/Glenn começou logo depois que a TV Cultura anunciou a presença do ministro da Justiça no centro do programa Roda Viva da próxima segunda-feira (20/01/2020), na estreia da jornalista Vera Magalhães como nova apresentadora. Maior bafafá.

O próprio Glenn e jornalistas do The Intercept Brasil reivindicaram a participação no programa de alguém da equipe do site, sob pena de a atração televisiva se tornar apenas oba-oba para levantar a bola de Moro e promovê-lo na sua carreira política.

Óbvio que o prestigiadíssimo Roda Viva, prêmio APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) de melhor jornalístico de 2019, pode muito bem ser crítico e fugir do oba-oba sem contar com representantes do Intercept. Tem história para tal missão questionadora.

Não tem obrigação nenhuma de convidar entrevistador x ou y, mas que seria interessantíssimo, ah, isso seria. A democracia, tão maltratada em alguns momentos pelo governo Bolsonaro, iria ficar felizona da silva. O país carece recuperar os bons embates e debates. Nem na campanha eleitoral tivemos essa sorte — o presidente eleito evitou qualquer encontro do gênero.

As revelações da Vaza Jato foram pouco discutidas na TV brasileira. Peleja do cordel à parte, seria uma ótima chance para o ex-juiz se defender das acusações de que teria agido em conluio com procuradores e Polícia Federal para dirigir as investigações contra o ex-presidente Lula, por exemplo.

“Roda mundo, roda-gigante/ Roda moinho, roda pião
O tempo rodou num instante/ Nas voltas do meu coração…”

Obrigado pela leitura e até a próxima.

* Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Metrópoles

SOBRE O AUTOR
Xico Sá

Escritor e jornalista, nasceu no Crato, na região do Cariri cearense, e iniciou sua trajetória profissional no Recife. Ganhador de importantes prêmios do jornalismo, como Esso, Folha, Abril e Comunique-se, é atualmente colunista do jornal El País/Brasil e comentarista do Redação Sportv. Na televisão, participou dos programas Amor & Sexo (Globo) e Papo de Segunda (GNT), Extraordinários (Sportv), Linha de Passe (ESPN Brasil) e Cartão Verde (Cultura), entre outros. O mais recente lançamento literário é Crônicas para Ler em Qualquer Lugar (Todavia), escrito em conjunto com Maria Ribeiro e Gregório Duvivier.

Últimas notícias