Fetiches com vinho. Na coluna de hoje: usando o sapato como taça

Ritual escandaloso caiu em desuso, mas foi recuperado recentemente pela vinícola Piper-Heidsieck, em parceria o designer Christian Louboutin

atualizado 20/08/2019 16:49

“Disseram que dei vexame bebendo champanhe no sapato de Sophia Loren.

Não é verdade. Derramei quase metade porque ela se recusava a tirar o maldito pé do sapato.”

Groucho Marx (humorista americano)

No final do século 19, os russos tinham o costume de beber champanhe nas sapatilhas das bailarinas para prestar homenagem ao seu talento e agradecê-las ao final do espetáculo. Em 1880, na França, era popular beber champanhe nos sapatos de salto alto das mulheres. Pensem nisso como uma maneira de tornar as coisas mais interessantes em uma festa. Por falar em festa, necessito fazer um esclarecimento: são fake news as publicações sobre uma reunião em que eu teria tomado espumante no sapato de uma colega. As fotos foram manipuladas.

Será que em matéria de beber os ingleses são sempre os primeiros? Este costume de usar os sapatos como taça já aparecia na Inglaterra no século 18. Um relato de 6 de junho de 1754 descreve que durante uma reunião um jovem debochado removeu o sapato de uma prostituta e o encheu de champanhe. Em 1900, os champanhes eram servidos nas sapatilhas das bailarinas, amantes dos jovens senhores da corte de Eduardo VII.

Divulgação

FOFOCALIZANDO: consta que o rei preferia a sapatilha dos dançarinos.

Mas parece que a França foi mesmo a pioneira na prática. Já no reinado de Luís XIV (1638-1715), o Rei Sol, Rei da França e Navarra de 1643 até à sua morte, um período de 72 anos, os homens da sua corte, para demonstrar a admiração que tinham por uma mulher, tiravam o sapato da amada e bebiam o champanhe usando seus calçados como taça.

Após a Segunda Guerra Mundial e a ascensão do feminismo, com o fechamento dos grandes bordéis, o ritual fetichista e pouco higiênico caiu em desuso.

Mas, aqui e ali, surge uma onda de nostalgia tentando resgatar este ritual. Parece que é uma brincadeira comum entre os jovens australianos. O “Shoey” é utilizado como forma de comemoração ou simplesmente de se divertir em festas.

Pegando uma carona no renascimento deste ritual escandaloso, a vinícola francesa Piper-Heidsieck, em parceria com Christian Louboutin, famoso designer de sapatos, criou um sapato de salto alto de cristal, Le Rituel, para servir de taça de uma Cuvée Brut. Vamos combinar que este “sapato” é um pouco mais higiênico.

Segundo a descrição de um sommelier consumidor (juro que não sou eu), “a bebida gelada compensa o sapato quente, não ocorrendo sabores adicionais. Não me recordo o que acontece com relação aos aromas”. Mas, com o líquido quente, o caldo engrossa.

Agenda

SOBRE O AUTOR
Sérgio Pires

Iniciou sua trajetória como enófilo na década de 1970. No final dos anos 1980, passou a estudar sistematicamente o tema e a realizar viagens a vinícolas. Após encerrar a carreira bancária, formou-se sommelier profissional pela Associação Brasileira de Sommeliers (ABS-DF/UPIS). Profissionalmente atua como consultor, palestrante, articulista e jurado em eventos de vinho. É diretor da ABS-DF e professor em todos os seus cursos.

Últimas notícias