Martinho da Vila fala sobre ser referência para negros até depois da morte

Um dos principais ícones da história do samba no Brasil fala sobre o desejo de continuar sendo inspiração

atualizado 20/11/2020 13:39

Reprodução/Instagram

O cantor Martinho da Vila, um dos principais ícones da história do samba no Brasil, contou que um dos seus projetos de vida é continuar sendo importante na vida da população negra e de origem humilde mesmo após sua morte.

“Uma coisa que eu penso sempre é em fazer coisas para que eu seja uma referência para pessoas da minha origem. Negros, favelados, que tiveram origem humilde. Eu quero ser referência para essas pessoas, no sentido de ‘ele passou? Conseguiu? Então também posso'”, contou ele, em entrevista à revista Quem.

0

Negro, o sambista de 82 anos quer que sua obra continue inspirando pessoas. “Meu projeto maior é continuar sendo referência quando eu descansar. É um sonho de vida ambicioso, né?”, completou.

Na conversa, Martinho também contou que chegou a frequentar a faculdade de Relações Internacionais para obter conhecimento e poder atuar mais com ações fora do país. Ele não chegou a concluir o curso, porém garante que o objetivo foi cumprido.

“Fui para a faculdade com a intenção de adquirir mais conhecimentos sobre as relações internacionais, que é algo que já pratico há muito tempo. Eu sou Embaixador da Boa Vontade da Comunidade dos países de língua portuguesa. Meus países são da área diplomática. Eu fui fazer para aprender”, finalizou,

Últimas notícias