Posso cozinhar com azeite extra virgem?

O condimento é rico em antioxidantes que combatem a oxidação. Por isso, pode ser submetido ao cozimento

Istock/anusorn nakdee

atualizado 18/02/2019 11:08

Cozinhar com azeite extra virgem é saudável. Azeite é fonte de boas gorduras e antioxidantes poderosos, fatores que fazem dele uma ótima escolha para preparar alimentos, mesmo em altas temperaturas.

Óleos, quando expostos ao calor, podem ser danificados e formar diversas substâncias nocivas, como peróxidos lipídicos e aldeídos, os quais são carcinogênicos. Mas isso ocorre apenas se forem ricos em gorduras poli-insaturadas, como é o caso dos óleos vegetais (canola e soja, por exemplo).

O azeite é rico em gordura monoinsaturada, além de ser estável quando aquecido. E quanto mais saturado, mais resistente ao calor.

De acordo com o departamento de agricultura dos Estados Unidos (USDA), o azeite é composto de 73% ácidos graxos monoinsaturado, 11% poli-insaturado e 14% saturado. Ou seja, somando a % das gorduras resistentes ao calor — mono + saturada –, temos 87% de compostos resistentes a altas temperaturas no azeite.

O azeite extra virgem é rico em antioxidantes que combatem a oxidação. Por isso, pode ser submetido ao cozimento. Quanto mais antioxidantes, mais resistentes à oxidação.

O ponto de fumaça do azeite extra virgem é em torno de 375 a 420º, outro motivo que o faz ser ótima escolha para cozinhar.

Escolha um bom azeite. E lembre-se de que, mesmo sendo uma gordura incrivelmente saudável, tudo em excesso traz malefícios.

Consulte um nutricionista para ajustes individuais.

Últimas notícias