“Pastores já demonizaram a web”, diz dono do maior canal cristão do Youtube

"Nos anos 2000, todos os pastores falaram que a internet era a coisa do diabo e hoje se utilizam dela", diz Antônio Júnior

Diego Rocha / Divulgação

atualizado 28/06/2020 11:53

Vivendo em uma cidade no interior de Minas Gerais, São Sebastião do Paraíso, com apenas 70 mil habitantes, o pastor Antônio Júnior consegue atingir cerca de 1 milhão de pessoas por dia. O brasileiro é dono de um dos maiores canais cristãos do mundo no YouTube, com mais de 4 milhões de inscritos e com mais de 400 milhões de visualizações em seus vídeos.

Com a quarentena e com a maioria das igrejas fechadas, sua audiência aumentou, e ele conversou com a Coluna Leo Dias para falar sobre o enorme sucesso de suas pregações e mensagens.

0

Antônio Júnior vê algo positivo nas igrejas fechadas. Ele acredita que as pessoas entenderam que a fé delas precisa ser em Deus: “A quarentena desvinculou as pessoas da igreja. Alguns eram totalmente dependentes, e puderam perceber que dá para caminhar com Deus mesmo sem estar na igreja. Aumentaram a fé e deixaram a dependência de estar num local físico. Claro que eu também sou a favor da igreja, é importante a comunhão, ouvir a palavra, mas a internet tem ajudado bastante. Engraçado que nos anos 2000, todos os pastores falaram que a internet era a coisa do diabo, demonizaram a web, e hoje se utilizam dela. As coisas mudaram.”

O pastor atinge não somente evangélicos, mas pessoas das mais diversas religiões. Essa é mais uma diferença que ele consegue ver no YouTube: “No meu canal, eu acredito que apenas 60% ou 70% sejam evangélicos. Existem muitos católicos, espíritas. Tem muita gente que não vai à igreja. O YouTube abrange pessoas de todo o tipo e isso é muito bom. Algumas pessoas têm medo ou vergonha na igreja e na internet não precisam se manifestar, apenas assistir à palavra.”

Para Antônio Júnior, o segredo do sucesso no YouTube é ser original, autêntico e criar uma maneira própria de se comunicar: “Busco mostrar que sou igual aos outros. Não me coloco como superior. Tenho vídeo com mais de 8 milhões de visualizações, e são vídeos que eu me coloco ali, igual aos que estão me ouvindo.”

O dono do maior canal cristão do mundo no YouTube publica dois vídeos diários, um às 6h, e outro às 20h, sempre com uma palavra de incentivo e consolo. Antônio Júnior revela que as funções com o canal demandam um custo. “Já ouvi pastores falando que acham errado lucrar com o YouTube. Mas penso da seguinte forma: o YouTube ganha dinheiro em cima de mim. Tenho 1 milhão de visualizações por dia. Acho correto eu receber por isso. Me profissionalizei, estudei, tenho pessoas que trabalham comigo nos meus vídeos. Isso tem um custo. Por isso acho justo receber”, diz ele, que enfatiza: “Não recebo um centavo se quer da igreja. Não cobro para pregar”.

Últimas notícias