Damares Alves está dando trabalho aos bezerros de três cabeças

Damares indeferiu 85% dos pedidos de “indenização por perseguição política” feitos durante este seu primeiro ano no governo

Michael Melo/Metrópoles

atualizado 18/12/2019 12:55

A ministra Damares Alves, se continuar neste tom, ainda vai acabar sendo reconhecida como uma heroína. Heroína de que ou de quem? Do erário público e do contribuinte, os otários por excelência deste país ao longo dos últimos 500 anos – em especial no período pós-Constituição Cidadã, um dos maiores clássicos mundiais em matéria de “fazer o bem” para poucos com o dinheiro de todos.

E, mais especialmente, nos 13 anos e meio de LulaDilma, quando o assalto ao cofre público foi elevado à categoria de obra de arte. Quase ninguém, em tempo algum, defende a multidão de otários. Damares está se revelando uma exceção. Toda vez que encontra um bezerro com três cabeças no meio da papelada que tem de assinar, ela diz: “Espera aí. Tem aqui um bezerro de três cabeças, e ele deveria ter uma só. Não vou assinar esse negócio”.

Por conta disso, o contribuinte, sem perceber, tem economizado dezenas de milhões de reais – que lhes seriam tirados, não tenha a menor dúvida, se a ministra não tivesse se recusado a colocar sua assinatura na linha reservada ao “pague-se”. Ao mesmo tempo, muita gente percebe: os que iam receber e acabaram não recebendo. Esses, compreensivelmente, detestam a ministra.

Aconteceu de novo. Conforme acaba de ser anunciado, Damares indeferiu 85% dos pedidos de “indenização por perseguição política” feitos durante este seu primeiro ano no governo. Dos 2.717 casos que recebeu, só atendeu 388. Que pedidos são esses? São feitos por pessoas que alegam, com motivos reais ou imaginários, terem sido perseguidas, punidas ou prejudicadas de alguma forma durante os anos de regime militar.

É claro que tem sido uma festa: você está sustentando com os seus impostos, há anos ou mesmo há décadas, todo o tipo de gente que alegou “perseguição”. Boa parte é fraude pura e simples.

O espantoso é que a ministra tenha achado razão para atender aqueles 388 – e, mais espantoso do que tudo, é que ainda existem 75 mil pedidos à espera de atendimento na fila das indenizações. Isso mesmo: 75 mil. Não há Tesouro Nacional que aguente um rojão desses. Mas se Damares continuar nesse tom, mais de 60 mil não vão levar nada. Já está bom.

* Este texto representa as opiniões e ideias do autor.

Últimas notícias