Lago Norte terá o primeiro parque com acessibilidade no Distrito Federal

Está prevista aplicação de R$ 250 mil para adaptações do local, com rampas de acesso para pessoas com mobilidade reduzida praticar canoagem

atualizado 14/08/2020 20:45

Ibram / Divulgação

Pela dificuldade de circulação de quem tem algum tipo de deficiência, um parque do Distrito Federal será totalmente adaptado com acessibilidade para virar modelo no Distrito Federal. O Parque Vivencial do Lago Norte, localizado nas proximidades da QL 02, foi o escolhido para receber a versão do direito a acesso universal.

O anúncio foi feito na tarde desta sexta-feira (14/8) pela secretária de Turismo, Vanessa Mendonça, durante evento. Ela confirmou a construção de benfeitorias e adaptações no local. Além da titular do Turismo, estavam presentes o administrador do Lago Norte, Marcelo Ferreira, e a superintendente de Unidades de Conservação do Ibram (ex-Instituto Brasília Ambiental), Rejane Pieratti.

“O turismo deve ser acessível a todos. A acessibilidade deve ser vista como infraestrutura básica e não como acessória. Sabemos que 23% da população brasileira têm alguma deficiência e devemos ter em mente que tanto o turismo quanto a prática de atividades ao ar livre servem como alento para este longo período de isolamento que a pandemia de coronavírus tem nos forçado”, argumentou.

Serão aplicados R$ 250 mil na construção de duas rampas de acesso e demais equipamentos. O recurso é fruto de uma emenda parlamentar. A obra vai facilitar o acesso dos atletas com limitação de mobilidade às aulas de canoagem.

A ideia é também atrair atenção da iniciativa privada para investir no local por meio do projeto Adote uma Praça. A acessibilidade universal é uma característica de um ambiente ou objeto que garante o exercício da cidadania e da autonomia a todas as pessoas, independentemente da condição, para usufruir de instalações e edificações em ambientes públicos ou privados.

Unidades

Atualmente, o Distrito Federal possui 72 parques ecológicos e urbanos administrados pelo Ibram, além de outras 22 unidades de conservação de proteção integral ou de uso sustentável. Há ainda outros parques geridos pelas administrações regionais, unidades de conservação sob gestão do Governo Federal (Parque Nacional de Brasília) e outras áreas de proteção de relevante interesse para visitação.

0

Últimas notícias