Ibaneis quer ampliar por mais 15 dias prazo de quarentena no DF

Governador disse que está monitorando a evolução da epidemia local e a atuação do sistema de saúde para avaliar extensão das medidas

Rafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 30/03/2020 12:47

O governador Ibaneis Rocha (MDB) informou, nesta segunda-feira (30/03), que deve ampliar por mais 15 dias as medidas preventivas para combater o novo coronavírus no Distrito Federal. Ao Metrópoles, o chefe do Executivo local afirmou que está monitorando a evolução da epidemia local e a atuação do sistema de saúde para poder determinar a extensão do prazo, que vencerá no próximo dia 5 de abril.

“Vamos precisar avaliar a evolução em Brasília, no Brasil e no mundo, e como o nosso sistema de saúde vai responder. Isso demanda pelo menos mais uns 15 dias”, assinalou o emedebista.

O Governo do Distrito Federal (GDF) já havia ampliado o período em que escolas e estabelecimentos comerciais deverão permanecer fechados. O novo prazo da quarentena, imposta diante da expansão dos casos de coronavírus na capital do país, seria até o dia 5 de abril.

Nessa mesma deliberação, o texto também determina que estabelecimentos comerciais, de qualquer natureza, inclusive shoppings, bares, restaurantes, lojas de conveniência, salões de beleza e centros estéticos, permaneçam com as portas fechadas no período. Bem como proíbe cultos e missas, independentemente de credo ou religião. As lotéricas e as lojas de conveniências de postos podem voltar a funcionar.

301 casos confirmados

Até o momento, há registro de 301 pessoas confirmadas com a Covid-19 no DF. De domingo (29/03) para esta segunda-feira (30/03), são dois novos casos, segundo o GDF. Do total, 195 pacientes apresentam infecções leves; 18 graves; e 13 se encontram em situação crítica. Além de 72 que estão sob investigação da Secretaria de Saúde.

Ou seja, 31 dos infectados são considerados casos mais graves. Nesse domingo, o número somava 24. Em 24 horas, houve, portanto, aumento de 29%.

Entre os pacientes, 175, ou 58,14%, são homens e o restante, mulheres. A maioria dos casos está na faixa etária de 31 a 40 anos (31,9%). Outra parcela de 23,6% tem de 41 a 50 anos. Pessoas acima de 60, ou no grupo considerado de risco, somam 13% dos infectados com a doença na capital do país.

Neste fim de semana, o GDF divulgou a primeira morte por coronavírus no DF. Trata-se de uma mulher de 61 anos. Ela morreu no Hospital Regional da Asa Norte (Hran), no dia 23 de março. A confirmação de que a moradora de Brasília tinha a Covid-19 foi comunicada nesse domingo, após resultado da contraprova realizada pela Fiocruz, no Rio de Janeiro.

Últimas notícias