GDF anuncia mais um hospital para o combate ao coronavírus

Unidade de campanha será doada pelo Sesc-DF e atenderá pacientes em estados considerados graves

JP Rodrigues/Especial para Metrópoles

atualizado 23/04/2020 10:04

O Serviço Social do Comércio (Sesc-DF) montará um hospital de campanha exclusivo para pacientes do novo coronavírus no Distrito Federal. A decisão foi comunicada nesta quarta-feira (22/04) ao governador Ibaneis Rocha (MDB) como forma de desafogar a rede pública de saúde local.

O titular do Palácio do Buriti havia feito o pedido à entidade na última semana, mas somente agora a instituição confirmou que custeará 100% do novo projeto.

“Isso vai nos ajudar muito, porque vamos passar a ter a capacidade de fazer a internação também de doentes leves, o que ajuda no controle do estado de saúde desses pacientes. A depender da quantidade de leitos, poderemos aumentar o acolhimento também de idosos em situação de risco. Com isso, ficaremos mais seguros no controle da doença”, explicou o emedebista à coluna.

Segundo ele, desde o início da crise, as entidades ligadas à Federação do Comércio (Fecomércio-DF) têm dado suporte de retaguarda às ações planejadas pelo Executivo local. Ele elencou alguns projetos em conjunto com o Sistema S, como o acampamento para desabrigados no Autódromo de Brasília, o suporte de mais 200 profissionais de saúde para a rede pública, atendimentos psicológicos a servidores da linha de frente de combate à pandemia e ainda a testagem de comerciantes feita pelo Sesc da 504 Sul.

“Na última sexta-feira, o governador nos procurou com esse pedido e logo disse para ele que daríamos um jeito de realizar. Procuramos o presidente da Confederação Nacional do Comércio, José Roberto Tadros, que logo apoiou a iniciativa e ingressou nessa parceria. Comunicamos ao governador e na próxima sexta-feira (24/04) teremos mais detalhes, como por exemplo a capacidade do hospital de campanha e onde ele será instalado”, explicou o presidente da Fecomércio, Francisco Maia.

No documento encaminhado ao diretor regional da entidade, Marco Túlio Chaparro, obtido pela reportagem, o titular do Palácio do Buriti argumentou que a iniciativa ajudará na pandemia da Covid-19 na capital federal. “Tendo em vista a especial relevância da atuação do Sesc em favor da sociedade, solicito os bons préstimos no sentido de efetuar a doação e instalação de leitos hospitalares prontos, com estrutura adequada, para que venham somar-se aos leitos já disponíveis na rede pública distrital de saúde, possibilitando assim o atendimento da crescente demanda ora verificada”, escreveu.

De acordo com Ibaneis, o novo hospital de campanha também dará mais segurança para o retorno do funcionamento das atividades locais, uma das reivindicações do setor produtivo. “Ressalto a inestimável contribuição que a referida medida prestará ao retorno das atividades econômicas nesta Unidade Federativa”, emendou.

Contratação

Procurado pelo Metrópoles, o diretor regional do Sesc-DF confirmou o projeto, mas explicou que ainda está na fase embrionária. Segundo Marco Túlio Chaparro, a ideia é que nos próximos dias a entidade lance o chamamento público para a contratação de empresas especializadas, tanto para a estrutura quanto para o fornecimento de equipamentos. Não há definição sobre onde funcionará a nova unidade.

“Estamos atualmente fazendo um estudo de todas as contratações de leitos realizadas recentemente no Brasil por conta da pandemia do novo coronavírus. Queremos com isso identificar os preços praticados a fim de agilizar a contratação das empresas. O que definirá as contratadas será o menor preço e o prazo de entrega”, explicou.

A parceria do GDF e o Sistema S tem um motivo: a menor burocracia para contratações dos serviços. Para se ter ideia, a partir das contratações, em até 10 dias a nova unidade de suporte no combate ao coronavírus pode estar em funcionamento.

“Não podemos falar sobre leitos e prazos neste momento. O que podemos adiantar é que estamos mergulhados em mais este projeto do Sistema S para ajudar o governo a controlar a grande crise causada pela Covid-19 e minimizar os impactos na economia local“, reforçou Chaparro.

Outras unidades

O Governo do Distrito Federal (GDF) havia anunciado pelo menos três unidades de saúde temporárias e exclusivas para tratar de pacientes infectados pelo novo coronavírus: um no Estádio Nacional Mané Garrincha,  um no Complexo Penitenciário da Papuda e há ainda a previsão de abertura de 106 leitos no Hospital Militar para o público civil, sendo 86 leitos de UTI e os demais de enfermaria.

Juntas, as novas unidades terão capacidade de atender mais de 350 pessoas. De acordo com a Secretaria de Saúde, “as ações estão sendo tomadas conforme o avanço da doença”.

 

Últimas notícias