CLDF lançará frente parlamentar contra privatização de estatais

Oito distritais integram o grupo, que é contra a abertura de capital da CEB, da Caesb e do BRB, além da concessão do Metrô

Andre Borges/Esp. MetrópolesAndre Borges/Esp. Metrópoles

atualizado 08/10/2019 21:13

A Câmara Legislativa vai instalar na quinta-feira (10/10/2019) a “Frente Parlamentar em Defesa das Estatais do DF”. Oito dos 24 distritais integram o grupo, que tem como objetivo organizar, no parlamento local, uma resistência contra a abertura de capital da Companhia Energética de Brasília (CEB), da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) e a concessão do Metrô-DF à iniciativa privada. O lançamento acontecerá no Plenário da CLDF, às 9h30.

Proposto pelos deputados Chico Vigilante (PT), Arlete Sampaio (PT) e Fábio Felix (PSol), o colegiado também será formado pelos distritais Agaciel Maia (PL), Leandro Grass (Rede), Reginaldo Veras (PDT), Reginaldo Sardinha (Avante) e Roosevelt Vilela (PSB).

Para Chico Vigilante, a necessidade da criação de uma Frente Parlamentar se justifica em virtude dessas empresas atuarem em setores da economia que são de interesse público fundamental.

“O Estado não pode abdicar da participação em setores da economia que são de interesse público fundamental, sob o risco de privar a população carente de receber recursos básicos, como energia elétrica, saneamento básico e transporte público”, afirmou.

O deputado Fábio Félix ressalta que a frente parlamentar será um marco na história do DF. “As empresas públicas do DF têm papel estratégico nas políticas públicas. Elas não podem ficar reféns da conjuntura, das eventualidades. O lançamento da frente é uma tentativa de barrar a tentativa do governo de privatizá-las sem estudo. Isso será um dano ao patrimônio construído pelo DF”, ressaltou.

Para o distrital Roosevelt Villela (PSB), a privatização deve ser estudada com cautela. “Temos que proteger as nossas empresas públicas. É necessário que elas se adequem a novas políticas de gasto com pessoal, mas que sejam mantidas. Principalmente, as que lidam com água e energia”, disse.

O lançamento do grupo terá a participação de representantes do Sindicato dos Urbanitários no DF (STIU-DF), do Sindicato dos Metroviários (SindMetrô-DF), do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Purificação e Distribuição de Água e em Serviços de Esgotos (Sindágua-DF), o Sindicato dos Bancários e outras entidades representativas, como centrais sindicais e sindicatos de trabalhadores.

SOBRE O AUTOR
Manoela Alcântara

Formada em jornalismo pelo Icesp. Trabalhou na Voz do Brasil, no Jornal de Brasília e no Correio Braziliense. Ganhadora de dois prêmios Sebrae de Jornalismo Econômico, uma das vencedoras do 1º Prêmio Polícia Federal de Jornalismo, jornalista destaque da Universidade de Brasília (UnB) por três vezes consecutivas. Repórter de Política local do Metrópoles desde 2015.

Últimas notícias