Após fila gigante, Sesc fará testagem de comerciários no Taguaparque

Posto de testagem drive-trhu será aberto às 15h. Funcionários precisam passar por exames antes da reabertura do comércio

atualizado 26/05/2020 14:42

Hugo Barreto/Metrópoles

No dia em que mais atividades são reabertas e na véspera da retomada do funcionamento dos shoppings, uma fila gigantesca de comerciários se formou na 504 Sul, onde os funcionários fazem testes rápidos  gratuitos de coronavírus. Até as 13h30, pelo menos 800 pessoas tinham passado por exames na unidade do Serviço Social do Comércio (Sesc). Por conta da alta procura, mais um ponto de testagem começa a funcionar a partir das 15h desta terça-feira (26/05), no Taguaparque, mas pelo sistema drive-trhu, para evitar aglomeração.

O serviço será prestado até as 20h. Na 504 Sul, a fila deu volta na entrequadra. Os testes são uma exigência para a retomada das atividades. O Sesc informou que a Federação do Comércio (Fecomércio) fez parceria com o GDF para disponibilizar 500 testes rápidos e gratuitos, diariamente, aos funcionários de todo o comércio da capital da República. Mas, devido à procura, serão 2 mil exames nesta terça, segundo informou o diretor-regional do Sesc, Marco Túlio Chaparro.

Maria Fernanda Silva é vendedora em um quiosque de shopping do DF e enfrentou fila na 504 Sul para fazer o teste. “Estão todos colados uns nos outros. É inconveniente ter que esperar. Ainda mais com a situação da contaminação, porém é necessário para a gente retornar com segurança. Acredito que deveriam ter disponibilizado os testes antes para evitar essa fila”, acrescentou.

0

Dois meses após o fechamento dos shoppings no Distrito Federal como medida de conter o avanço do novo coronavírus, os 20 centros comerciais da capital poderão reabrir as portas nesta quarta-feira (27/05). Apesar da empolgação com a retomada dos negócios, lojistas têm consciência de que o brasiliense não voltará a frequentar os estabelecimentos em massa.

Para tentar garantir tranquilidade aos clientes, os empresários apostam em seguir rigorosas medidas de prevenção à Covid-19.

Segundo o presidente da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), Glauco Humai, todos os protocolos de segurança exigidos serão seguidos, como a medição obrigatória da temperatura de todos os frequentadores do local, limite de 50% no uso do estacionamento e a proibição de consumo de comidas.

“A gente precisa recuperar a confiança. No Rio Grande do Sul e Santa Catarina, a primeira semana de reabertura ficou na ordem dos 40% ou 50% do que era antes da pandemia. Agora, está em cerca de 70%. Coube a nós pensar que estávamos preparados para uma reabertura. É possível operar respeitando os protocolos”, explica Glauco.

O presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal (Fecomércio-DF), Francisco Maia, confia que será bem mais fácil controlar a disseminação da doença nos shoppings. “Tem portaria. O pessoal pode ir lá e controlar a entrada”, pondera.

O único problema, segundo ele, tem sido a testagem para a Covid-19. Muitos comerciantes têm relatado dificuldades em conseguir agendar na rede pública e o exame em laboratórios particulares são muito caros para serem feitos em grandes quantidades.

Após a permissão de que lojas de calçados e sapatos pudessem abrir as portas, o Governo do Distrito Federal (GDF) decidiu que, a partir desta terça-feira (26/05), vários outros segmentos do comércio de rua na capital poderão retomar as atividades. Foram quase 70 dias de fechamento para vários empresários.

Veja aqui quais as atividades podem funcionar a partir desta terça.

 

Últimas notícias