NYFW: veja os destaques de Pyer Moss, Tommy Hilfiger e outras marcas

As peças apresentadas por Christian Siriano, Brandon Maxwell, Longchamp e Ralph Lauren também chamaram atenção

Dominik Bindl/Getty Images for NYFW: The ShowsDominik Bindl/Getty Images for NYFW: The Shows

atualizado 10/09/2019 8:13

Os desfiles de mais uma edição da Semana de Moda de Nova York já estão a todo vapor. O evento, que segue com a programação oficial até esta quarta-feira (11/09/2019), contempla a temporada de primavera/verão 2020, apesar de algumas grifes, como Tommy Hilfiger e Ralph Lauren, terem optado pelo formato see-now-buy-now e apresentado coleções de outono/inverno. Entre os destaques dos primeiros dias, estão as marcas Pyer Moss, Christian Siriano, Brandon Maxwell e Longchamp.

Vem comigo!

 

Pyer Moss

O desfile da Pyer Moss foi um dos que mais tiveram força e personalidade nesta edição da Semana de Moda de Nova York, até o momento. Criada por Kerby Jean-Raymond em 2013, a marca é contemporânea, disruptiva e cheia de responsabilidade social.

A apresentação, que aconteceu no Kings Theater, no Brooklyn, teve um coral cantando do início ao fim. Para a terceira coleção da marca, o estilista apostou em um casting inteiro de modelos negros.

Kerby Jean-Raymond, que recentemente entrou para o núcleo administrativo do Conselho de Estilistas Norte-Americanos (CFDA), inspirou-se no trabalho de Sister Rosetta Tharpe. Mulher negra, a guitarrista uniu o gospel ao popular e foi uma das pioneiras do rock and roll nos anos 1940.

O designer fez uma parceria com um pintor que passou 45 anos preso por um crime que não cometeu. Kerby Jean-Raymond se comoveu e quis usar o trabalho de Richard Phillips em estampas da Pyer Moss. “Como na maioria das merdas que vejo nas notícias, isso partiu meu coração” declarou o estilista no Instagram. “Entrei em contato depois que soube que ele estava pintando incessantemente”, completou.

Os itens levaram referências musicais em detalhes e formas. As peças também incluíram blocos de cores enérgicas, como amarelo, azul escuro e vermelho.

Dominik Bindl/Getty Images for NYFW: The Shows
Looks monocromáticos na passarela da Pyer Moss

 

Dominik Bindl/Getty Images for NYFW: The Shows
Os acessórios remetem à música

 

 Fernanda Calfat/Getty Images
As estampas foram feitas em uma parceria com Richard Phillips

 

 Fernanda Calfat/Getty Images
Kerby Jean-Raymond mistura referências atuais com elegância

 

Dominik Bindl/Getty Images for NYFW: The Shows
Gola em formato de instrumento musical: autêntico e cool

 

Dominik Bindl/Getty Images for NYFW: The Shows
As criações são modernas e impactantes

 

Fernanda Calfat/Getty Images
Kerby Jean-Raymond é um dos designers mais disruptivos da atualidade

 

Ralph Lauren

A coleção ready-to-wear de outono/inverno 2019 da Ralph Lauren foi apresentada em um clube de jazz na Wall Street. Em sintonia com as roupas rebuscadas, as modelos entraram na passarela ao som de uma orquestra.

A Ralph Lauren é uma das marcas americanas mais clássicas, mas há algum tempo vem tentando se reinventar e conquistar as novas gerações. Para esta edição no Nova York Fashion Week, a label apostou fortemente na alfaiataria descolada, sem perder o fancy mood.

Conjuntinhos de blazer, calça e gravata, além de trench coats e vestidos de gala, dominaram as combinações. As peças ganharam texturas aveludadas e rígidas.

O estilista norte-americano também brincou com brilho e até materiais felpudos. Vale reparar nas gravatas de diferentes estilos em produções femininas.

JP Yim/Getty Images
Os conjuntos de alfaiataria ficaram mais despojados com tonalidades enérgicas

 

JP Yim/Getty Images
A Ralph Lauren misturou texturas

 

JP Yim/Getty Images
Aqui, a gola felpuda fez toda a diferença na proposta

 

JP Yim/Getty Images
Trench coat com brilho

 

JP Yim/Getty Images
Vestidos de gala também surgiram na passarela

 

Christian Siriano

Christian Siriano ficou conhecido após vencer uma das temporadas do programa Project Runway. Com um DNA criativo que mergulha na extravagância, desde o início, ele atua em prol de uma moda mais democrática e produz peças de tamanhos variados. Para a primavera/verão 2020, o estilista optou por uma coleção descontraída.

“Todos precisamos de um pouco de diversão em nossas vidas”, afirmou Siriano ao WWD. O resultado foi uma coleção arco-íris, com direito à aposta no furta-cor.

A inspiração de Christian Siriano veio principalmente do trabalho de Ashley Longshore, pintora de pop art. Quadros enfeitaram o cenário e a própria artista participou do desfile.

Além das cores, Siriano não economizou no volume com babados, camadas de tule e mangas bufantes. Assimetria e doses de transparência incrementaram alguns outfits.

Victor VIRGILE/Gamma-Rapho via Getty Images)
A coleção teve foco na diversão

 

Victor VIRGILE/Gamma-Rapho via Getty Images)
O furta-cor mistura exagero e delicadeza

 

Victor VIRGILE/Gamma-Rapho via Getty Images)
Toque interessante de transparência

 

Victor VIRGILE/Gamma-Rapho via Getty Images)
Camadas de tule com mix de tonalidades que quebraram a sobriedade do preto

 

Victor VIRGILE/Gamma-Rapho via Getty Images)
Mangas desconstruídas na peça amarela

 

Victor VIRGILE/Gamma-Rapho via Getty Images
Christian Siriano com Ashley Longshore na passarela

 

Tommy Hilfiger

O show da Tommy Hilfiger aconteceu no Teatro Apollo, localizado no bairro do Harlem. A marca norte-americana apresentou peças de mais uma collab com a atriz Zendaya. A coleção contempla a temporada de outono/inverno 2019/20, no formato see-now-buy-now, em que o público pode comprar os itens logo após o desfile. 

Para a segunda parceria com a Tommy, Zendaya voltou a apostar em uma pegada vintage. O resultado foi similar à estética apresentada pela Ralph Lauren.

Silhuetas dos anos 1970 se misturaram ao olhar apurado e moderno, forte na geração Z. Novamente, a estrela de Euphoria introduziu uma dose significativa de sofisticação na label conhecida por uma vibe mais sporty

O destaque da coleção foi a padronagem. Xadrez, poá e animal print dominaram os looks. Acessórios poderosos, como chapéus e boinas, também chamaram atenção na passarela. Na paleta de cores, tons neutros, como preto, branco e cinza, além do chamativo bordô.

Victor VIRGILE/Gamma-Rapho via Getty Images
O toque retrô é visível na coleção

 

Victor VIRGILE/Gamma-Rapho via Getty Images
As criações de Zendaya para a Tommy são elegantes. Aqui, com alfaiataria acinturada

 

Victor VIRGILE/Gamma-Rapho via Getty Images
Mix harmônico de estampas

 

Victor VIRGILE/Gamma-Rapho via Getty Images
Os acessórios se destacaram na passarela da Tommy Hilfiger

 

Victor VIRGILE/Gamma-Rapho via Getty Images
A sobreposição foi uma das apostas

 

Victor VIRGILE/Gamma-Rapho via Getty Images
A segunda collab Tommy Hilfiger x Zendaya foi apresentada no Teatro Apollo, como parte do calendário oficial do Nova York Fashion Week

 

 

Brandon Maxwell

O calendário oficial do Nova York Fashion Week também incluiu a marca homônima de Brandon Maxwell. Conhecido por deixar o estilo de Lady Gaga mais contemporâneo e menos excêntrico, o designer escolheu o Brooklyn para o desfile de spring/summer 2020.

A coleção pode ser definida como uma mistura de casualidade e sofisticação. Entre as produções, hot pants com camisa social, top e saia rodada, além de blazer com short.

Os looks transitaram por materiais como jeans, seda e paetê. O destaque ficou por conta dos acessórios: colares com grandes correntes, lenços na cabeça, cintos coloridos e bolsas nada convencionais.

Victor VIRGILE/Gamma-Rapho via Getty Images
Brandon Maxwell mesclou peças básicas a outras mais chiques

 

Victor VIRGILE/Gamma-Rapho via Getty Images
Conjuntinho descolado de short e blazer

 

Victor VIRGILE/Gamma-Rapho via Getty Images
Mistura ousada e interessante

 

Victor VIRGILE/Gamma-Rapho via Getty Images
Mix de fluidez e cintilância

 

Victor VIRGILE/Gamma-Rapho via Getty Images
Cintos coloridos complementaram alguns visuais

 

Victor VIRGILE/Gamma-Rapho via Getty Images
Os acessórios foram destaque no desfile

 

 

Longchamp

O desfile da Longchamp aconteceu no Hearst Plaza, no Lincoln Center. A marca estreou no calendário oficial da Semana de Moda de Nova York como uma comemoração ao aniversário de 70 anos.

“Achamos que era a hora certa de levar as coisas para o próximo nível e expandir nossa visão da dinâmica e cosmopolita mulher da Longchamp”, destacou a diretora criativa Sophie Delafontaine, em comunicado oficial.

Modelagens amplas contrastaram com peças justas e outras de caimento mais leve. Delafontaine também investiu em estampas marcantes e degradê de tons.

Vale destacar os sapatos, que deram mais charme e um toque inusitado às composições. A etiqueta francesa apostou em tênis-meia e gladiadoras.

JP Yim/Getty Images for Longchamp
Modelagem ampla com um toque sporty

 

JP Yim/Getty Images for Longchamp
Peças justas foram mescladas a itens com volume

 

JP Yim/Getty Images for Longchamp
A Longchamp investiu em tênis-meia com roupas delicadas

 

Ilya S. Savenok/Getty Images for Longchamp
Degradê charmoso de cores

 

JP Yim/Getty Images for Longchamp
Macacão jeans acinturado com detalhes da costura à mostra propositalmente

 

JP Yim/Getty Images for Longchamp
Aqui, a sobreposição deixou o look mais fresh

 

 

 

O Nova York Fashion Week começou nessa sexta-feira (06/09/2019), com a abertura feita pela Telfar. Como parte da programação, já aconteceram as apresentações de marcas como Jeremy Scott, Tomo Koizumi, Tory Burch e Tom Ford. No último dia, Marc Jacobs vai fechar os desfiles oficiais.

 

Colaborou Rebeca Ligabue

SOBRE O AUTOR
Ilca Maria Estevão

Bacharel em psicologia pela Universidade Georgetown, em Washington D.C. (EUA). É apaixonada por moda e acompanha toda movimentação no universo fashion.

Últimas notícias