Em desabafo, modelo Adut Akech acusa revista australiana de racismo

A WHO Magazine publicou uma entrevista com a jovem refugiada, mas ilustrou o conteúdo com foto de outra profissional negra

atualizado 30/08/2019 13:55

Brook Mitchell/Getty Images

Adut Akech é uma das modelos mais renomadas da atualidade. No entanto, o sucesso não foi um impeditivo para que ela passasse por uma situação constrangedora e considerada preconceituosa. A revista australiana WHO Magazine publicou uma entrevista com a jovem de 19 anos, mas ilustrou o conteúdo com a foto de outra profissional negra. Decepcionada, a top model compartilhou um desabafo, dizendo que a situação não teria ocorrido com uma pessoa branca.

 

Em preparação para a Semana de Moda de Melbourne, que começa na Austrália nesta quarta-feira (28/08/19), a top conversou com a WHO Magazine. Na própria entrevista para o periódico local, ela falou sobre moda e carreira, mas também destacou a forma como a sociedade enxerga os refugiados e os negros. Contudo, no lugar de Adut Akech, a revista colocou uma imagem da modelo Flavia Lazarus.

No Instagram, Adut Akech disse que ficou pensando durante dias sobre como abordar o episódio. “Isso me chateou, me deixou com raiva, me fez sentir muito desrespeitada e, para mim, é inaceitável e indesculpável sob quaisquer circunstâncias”, escreveu. “Sinto que minha raça inteira foi desrespeitada também”, acrescentou a modelo.

Ela afirmou ainda que a situação demonstra que, em geral, as pessoas são muito ignorantes e têm mente fechada, por acharem que toda garota negra ou africana tem a mesma aparência. “Sinto que isso não teria acontecido com uma branca”, disse Adut Akech em um trecho do post.

A WHO Magazine se desculpou e afirmou que a foto errada foi enviada pela agência que organizou a entrevista. A jovem enfatizou que o objetivo não foi criticar a empresa em específico, mas uma forma de se expressar publicamente e pedir por mudanças significativas no mercado.

“Quero que seja um alerta para as pessoas que estão dentro da indústria de que isso não está certo e vocês precisam melhorar. Grandes veículos precisam checar os fatos antes de publicá-los”, completou a top model.

Reprodução/Instagram/@adutakech
A WHO Magazine entrevistou Adut Akech, mas colocou uma foto de outra modelo negra

 

Reprodução/Instagram/@adutakech
O rosto que aparece na publicação é o de Flavia Lazarus

 

 

Adut Akech nasceu em um campo de refugiados no Sudão do Sul. Ela morou no Quênia até os seis anos de idade, depois se mudou com a família para a Austrália. Aos 16, assinou com a primeira agência.

No currículo, atualmente, ela tem trabalhos com as principais grifes de luxo do mundo. Em 2016, fez o primeiro grande desfile da carreira: o de primavera/verão 2017 da Saint Laurent. Desde então, já participou de inúmeros shows de marcas como Dior, Givenchy, Versace, Max Mara, Tory Burch, Fendi, Marc Jacobs e Chloé.

No ano passado, a jovem encerrou o desfile da Chanel, vestida de noiva. A maison não escolhia uma modelo negra para fechar suas apresentações há 14 anos. Além disso, foi eleita a manequim feminina de maior destaque em 2018, pelo portal Models.com.

Peter White/WireImage/via Getty Images
Adut Akech é uma das modelos mais cobiçadas pelas marcas de luxo, hoje em dia

 

Jacopo Raule/Getty Images
Ela nasceu em um campo de refugiados

 

Jacopo Raule/Getty Images
Em 2018, foi escolhida como Modelo do Ano

 

Recentemente, Adut Akech foi uma das convidadas para estrelar a september issue da Vogue britânica. Batizado de Forças de Mudança, o material reuniu personalidades com opiniões fortes e que fazem a diferença no mundo, selecionadas por Meghan Markle.

Reprodução/Vogue UK
“Quero ajudar as pessoas a entenderem que os refugiados são pessoas normais, assim como todo mundo”, declarou a sudanesa, em entrevista à Vogue do Reino Unido

 

 

Colaborou Rebeca Ligabue

Últimas notícias