Terracap: folha de pagamento e número de comissionados batem recorde

A empresa pública gastou R$ 37,6 milhões para quitar os salários dos servidores em junho de 2019, o maior valor desde a criação da estatal

DivulgaçãoDivulgação

atualizado 23/06/2019 11:44

Em seis meses, a atual gestão da Agência de Desenvolvimento de Brasília (Terracap) bateu, pelo menos, dois recordes: maior número de servidores comissionados e a mais alta folha de pagamento desde a criação da estatal.

Do início do ano até agora, foram contratados para cargos de confiança 36 pessoas sem vínculo com o funcionalismo público. Os salários chegam a R$ 18,4 mil. A Terracap não nomeava comissionados desde 2009 – apenas servidores cedidos ou com cargos na administração pública assumiram postos na empresa nesse período.

Entre os novos servidores, há nomes conhecidos, como o do ex-diretor da Via Engenharia José Luis Wey de Brito. Conforme mostrou a Grande Angular, após trabalhar no alto escalão da empreiteira acusada de estar envolvida em esquema de propina e superfaturamento do Estádio Nacional Mané Garrincha, Brito está lotado na Diretoria de Novos Negócios da Terracap, área responsável pela concessão da arena à iniciativa privada.

Dos 36 comissionados, pelo menos 13 são advogados. Apesar da formação em comum, eles foram distribuídos em diferentes seções da agência. Uma novidade no organograma da Terracap é a criação da Diretoria Jurídica para abrigar Wesley Ricardo Bento — alvo de questionamento do Ministério Público após solicitar a compra de um quadro de Athos Bulcão para enfeitar seu gabinete. A nova estrutura, no entanto, recebeu apenas um comissionado.

O número de servidores cedidos para a Terracap também supera o de gestões anteriores. Ao todo, foram 11 em 2019. Quatro a mais do que em 2018. Somada, a quantidade de comissionados (sem vínculo ou com vínculo) dentro da estrutura da Terracap chegou a 69 pessoas.

Com tantos novatos, o impacto na folha de pagamento era inevitável. Em junho, foram desembolsados R$ 37,6 milhões para quitar os vencimentos dos servidores. É o maior valor desde a criação da agência, em 1995. Em dezembro de 2018, o gasto com salários foi de R$ 23,4 milhões.

Os salários na empresa pública chegam a R$ 54,2 mil. Na diretoria, que atualmente conta com sete integrantes, o menor vencimento é de R$ 32,3 mil.

Enquanto a Terracap contrata comissionados, aprovados no último concurso da empresa pública, em 2017, aguardam nomeação. O certame tem validade até outubro de 2019. Foram preenchidas 507 das 598 vagas autorizadas.

Procurada, a assessoria de imprensa da Terracap não respondeu aos questionamentos da reportagem.

SOBRE OS AUTORES
Lilian Tahan

Dirige desde setembro de 2015 o site de notícias Metrópoles. É formada em comunicação social pela Universidade de Brasília (UnB), com especialização em jornalismo digital e gestão de empresa de comunicação pela ISE Business School, instituição vinculada à Universidade de Navarra, na Espanha. Antes do Metrópoles, trabalhou por 12 anos no Correio Braziliense e dois anos na revista Veja Brasília. Ao longo da carreira, conquistou prestigiados prêmios de jornalismo, como Esso, Embratel, CNT, CNI, AMB, MPT, Engenho.

Gabriella Furquim

Formada em jornalismo pela Universidade de Brasília (UnB), com experiência em redação, assessoria de imprensa e gestão de comunicação. Atua na área desde 2009. Integrou as equipes de reportagem e edição dos jornais Correio Braziliense e Aqui DF. Em 2014, coordenou a comunicação da Associação Nacional dos Centros de Defesa da Criança e do Adolescente, Seção Defence for Children Brasil (Anced/ DCI Brasil), e do projeto internacional Red de Coaliciones Sur. De 2015 a 2017, foi assessora de imprensa do governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg.

Últimas notícias