Sinpro-DF: suspensão da volta às aulas na rede pública “traz tranquilidade”

Sindicato comemorou decisão do desembargador João Egmont, que derrubou sentença anterior sobre retorno das atividades presenciais

atualizado 27/10/2020 19:50

Sala de aula vazia DAJ/Getty

O diretor do Sindicato dos Professores no Distrito Federal (Sinpro-DF) Samuel Fernandes afirmou que a decisão do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) de suspender, nesta terça-feira (27/10), a sentença que determinava o retorno às aulas presenciais na rede pública de ensino, “traz tranquilidade”.

De acordo com Fernandes, o sindicato “está sempre atento para qualquer tentativa de retorno das aulas presenciais sem as condições sanitárias adequadas, pois a preservação da vida deve estar sempre em primeiro lugar”.

Como mostrou a Grande Angular, o desembargador João Egmont deferiu o pedido do Governo do Distrito Federal (GDF), que recorreu contra a liminar da Vara da Infância e da Juventude emitida na última sexta-feira (23/10).

Em sua argumentação, João Egmont pediu “prudência”. “Não se ignora, também, a expectativa pelo retorno dos estudantes às salas de aula, porém, não se pode determinar este tão aguardado retorno sem que as autoridades públicas responsáveis pela condução das políticas públicas estejam preparadas para esta tarefa. A situação, enfim, reclama prudência e bom senso”, escreveu.

 

Últimas notícias