PF pede que estados devolvam delegados, incluindo Anderson Torres

Diretor-geral da Polícia Federal destacou que há 191 servidores cedidos a outros órgãos, a maior média já registrada. Quatro já retornaram

Igo Estrela/MetrópolesIgo Estrela/Metrópoles

atualizado 24/01/2020 17:10

O diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Leite Valeixo, pediu ao Ministério da Justiça e Segurança Pública o retorno à PF dos 191 servidores cedidos a outros órgãos.

Entre os funcionários que atuam fora da polícia, está o secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, Anderson Torres (foto em destaque), que é delegado da PF. O secretário executivo da SSP-DF, Alessandro Moretti, também é delegado da corporação. O documento foi assinado em 24 de dezembro de 2019.

Só no Ministério da Justiça e Segurança Pública atuam 60 profissionais da Polícia Federal, segundo Valeixo.

Metrópoles apurou que quatro desses 191 servidores já voltaram à PF.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, contudo, até o momento não foi solicitado o retorno do titular da pasta, que é benquisto pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

No documento, Valeixo destacou que “inúmeros são os policiais desta corporação que comandam Secretarias de Segurança Pública, são nomeados para cargos de alto escalão nas esferas governamentais, presidem institutos, atuam em empresas públicas etc”.

Mas o diretor-geral alerta que o atual número de servidores requisitados é a maior média já registrada. E que o quantitativo supera o efetivo de superintendências regionais, como as unidades do Acre, Amapá, Mato Grosso, Piauí, de Rondônia, Roraima, Sergipe e Tocantins.

“Ocorre que as demandas são crescentes, e o incremento de pessoal não acompanha. O déficit de servidores é preocupante e pode impactar nas respostas que esta instituição deve dar à sociedade”, destacou.

“Diante desse cenário, solicitamos a compreensão e o apoio dessa pasta no sentido de adotar medidas que viabilizem o retorno de servidores cedidos à PF. Tal iniciativa ajudará na recomposição da nossa força de trabalho, contribuindo com a manutenção da prestação de serviço público essencial e de excelência”, assinalou.

Outra unidade da Federação que será afetada é o Rio de Janeiro. A PF determinou que três delegados federais cedidos ao governo fluminense voltem ao órgão de origem: o presidente do Departamento de Trânsito local (Detran-RJ), Marcelo Bertolucci; o assessor especial do governador Wilson Witzel (PSC) Fabio Andrade; e o controlador-geral do estado, Bernardo Barbosa.

Confira, na íntegra, o ofício assinado pelo diretor-geral da PF:

Material cedido ao Metrópoles

Material cedido ao Metrópoles

SOBRE OS AUTORES
Lilian Tahan

Dirige desde setembro de 2015 o site de notícias Metrópoles. É formada em comunicação social pela Universidade de Brasília (UnB), com especialização em jornalismo digital e gestão de empresa de comunicação pela ISE Business School, instituição vinculada à Universidade de Navarra, na Espanha. Antes do Metrópoles, trabalhou por 12 anos no Correio Braziliense e dois anos na revista Veja Brasília. Ao longo da carreira, conquistou prestigiados prêmios de jornalismo, como Esso, Embratel, CNT, CNI, AMB, MPT, Engenho.

Isadora Teixeira

Formada pelo Centro Universitário Iesb, atua como repórter do Metrópoles desde 2017. Na editoria de Cidades, cobre assuntos políticos relacionados ao Distrito Federal

Caio Barbieri

Cursou jornalismo no Centro Universitário de Brasília (UniCeub). Passou pelas redações do Correio Braziliense, Agência Brasil, Rádio Nacional e foi editor-adjunto da Tribuna do Brasil. Ocupou a assessoria especial no Ministério da Transparência e foi secretário-adjunto de Comunicação do GDF. Chefiou o relacionamento com a imprensa na Casa Civil, Vice-Governadoria, Secretaria de Habitação e na Secretaria de Turismo do DF. Fez consultoria para vários partidos, entidades sindicais e políticos da Câmara Legislativa e do Congresso Nacional. Assina a coluna Janela Indiscreta do Metrópoles e cobre os bastidores do poder em Brasília.

Últimas notícias