Paridade da PCDF será discutida por governo de transição nesta quarta

Tema será tratado entre futuro secretário de Fazenda, próximo diretor-geral da PCDF e presidentes de sindicatos de policiais e de delegados

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 20/11/2018 22:54

Um dos temas mais quentes da campanha entrará em pauta pela primeira vez no governo de transição. Está agendada reunião para as 16h desta quarta-feira (21/11), na qual se começará a desenhar a paridade de salários da Polícia Civil com a PF, um dos compromissos assumidos por Ibaneis Rocha (MDB) durante as eleições.

O assunto será tratado entre o futuro secretário de Fazenda, André Clemente, o delegado indicado para assumir a direção-geral da Polícia Civil, Robson Cândido, e os presidentes dos sindicatos dos Delegados (Sindepo), Rafael Sampaio, e dos Policiais Civis (Sinpol), Rodrigo Franco. O encontro ocorrerá na sede do governo de transição.

A expectativa da categoria é que o pagamento, com repercussão de 37% de aumento nos salários dos policiais, seja efetivado logo nos primeiros meses do novo governo. Também entrarão em discussão as condições de trabalho dos policiais.

Do sindicato para o GDF
Não vão faltar interlocutores para fazer a ponte entre categoria e governo. Um dos nomes mais empenhados nessa meta é Rafael Sampaio. Mas há uma chance de que sua articulação agora seja feita sob a perspectiva do governo.

Ele é cotado para assumir um posto no Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da gestão Ibaneis. O embate contra Rollemberg nas eleições o aproximou do governador eleito, que chegou a sondá-lo para ser o diretor da PCDF. Sampaio manteve o trabalho em torno de Robson Cândido e agora pode se juntar à equipe de Laerte Bessa.

SOBRE O AUTOR
Lilian Tahan

Dirige desde setembro de 2015 o site de notícias Metrópoles. É formada em comunicação social pela Universidade de Brasília (UnB), com especialização em jornalismo digital e gestão de empresa de comunicação pela ISE Business School, instituição vinculada à Universidade de Navarra, na Espanha. Antes do Metrópoles, trabalhou por 12 anos no Correio Braziliense e dois anos na revista Veja Brasília. Ao longo da carreira, conquistou prestigiados prêmios de jornalismo, como Esso, Embratel, CNT, CNI, AMB, MPT, Engenho.

Últimas notícias