Militante LGBTI, Vitória Maia morre aos 29 anos em decorrência da Covid-19

Ela estava internada no Hospital de Campanha de Águas Lindas de Goiás e faleceu no fim da tarde desta segunda (13/7)

atualizado 14/07/2020 10:48

Vitoria Maia Reprodução

Aos 29 anos, a assistente social Vitória Maia faleceu em decorrência do novo coronavírus na tarde desta segunda-feira (13/7). Mulher trans e ativista LGBTI, Vitória ocupou cargos na administração pública durante a gestão de Agnelo Queiroz (PT).

Vitória estava internada no Hospital de Campanha de Águas Lindas de Goiás, no entorno de Brasília. “Foi muito rápido. Ela recebeu o diagnóstico e a orientação de voltar para casa. No mesmo dia regressou ao hospital com dificuldade de respirar e precisou ser intubada”, contou a ex-deputada federal Maninha (PSol).

“É muito triste perder alguém tão querida. Ainda mais alguém como a Vitória, que sempre foi tão trabalhadora. Uma guerreira que lutou pelos seus direitos e pelo bem da sua família”, lamentou a ex-parlamentar.

Vitória foi homenageada pelo PSol, partido ao qual era filiada, e pelo PT. “Nos solidarizamos com os familiares, amigos e amigas neste momento tão duro. Mais uma vítima tão próxima de nós nesta pandemia só nos lembra da responsabilidade que temos em cobrar todos os dias dos nossos governantes que tratem com dignidade a população em meio a esse cenário”, afirma o texto divulgado pelo PSol.

“Vitória dedicava-se à luta pelos direitos da população LGBT, tendo grande atuação, sobretudo, em defesa da vida das pessoas trans. Com imensa vontade de mudar o mundo, sua luta não foi em vão. Vitória seguirá em nossos corações. Manifestamos nossos sinceros sentimentos à família, amigas/os e companheiras/os pela perda inestimável. Vitória, presente. Agora e sempre!”, diz a homenagem publicada pelo PT.

0

 

Últimas notícias