Ibaneis anuncia reajuste imediato de 8% para PM, PCDF e CBMDF

Governador entregará texto de medida provisória ao presidente Jair Bolsonaro na tarde desta terça-feira (24/12/2019), no Palácio da Alvorada

Michael Melo/Metrópoles

atualizado 24/12/2019 15:43

O governador Ibaneis Rocha (MDB) aproveitou a véspera de Natal para concluir acordos e dar uma resposta às forças de segurança pública do Distrito Federal.

Nesta terça-feira (24/12/2019), o chefe do Executivo local concedeu entrevista ao Metrópoles e afirmou que um aumento imediato de 8% às polícias Civil e Militar e ao Corpo de Bombeiros será concedido ainda em 2019, por meio de medida provisória assinada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Além disso, o governo federal encaminhará uma proposta de emenda à Constituição (PEC) para transferir a gestão do Fundo Constitucional ao Distrito Federal.

A assinatura dos acordos, já fechados com Bolsonaro, ocorreria às 11h desta terça (24/12/2019), mas teve o horário adiado devido ao acidente que o presidente sofreu no banheiro de sua casa na noite anterior.

O encontro foi remarcado para às 15h, no Palácio da Alvorada. “Infelizmente o presidente da República teve um acidente doméstico”, afirmou Ibaneis Rocha.

Segundo Ibaneis, será pago um percentual imediato de 8% para as forças de segurança pública. “Bolsonaro está concedendo os 8% já neste ano, e com o compromisso de que, se a PEC que vai transferir o fundo [para o DF] demorar um pouco mais, ele vai editando outras medidas provisórias, concedendo o reajuste da forma como tínhamos pensado: ano a ano”, afirmou.

Sobre a paridade pedida pela Polícia Civil com a Polícia Federal, de 37%, Ibaneis ressaltou que pretende chegar lá, mas que ainda há um entendimento diverso do ministro da Economia, Paulo Guedes.

“É uma paridade histórica, mas o ministro entendeu que não pode conceder agora, porque não deu reajuste para outras categorias. Meu entendimento é diferente, pois os servidores públicos federais tiveram aumento. A polícia não tem há 14 anos”, disse.

A respeito da transferência do Fundo Constitucional para a gestão do DF, o governador disse contar com o apoio de deputados e senadores a fim de aprovar a PEC. “Com essa gestão na nossa mão, tenho certeza que o Fundo Constitucional pode ser muito mais do que arcar com a folha de pagamento”, afirmou.

“Nós temos que investir na segurança, na saúde e na educação. E isso não vem sendo feito. O Fundo Constitucional tem servido simplesmente para cobrir despesas de pessoal, de custeio, e não temos conseguido dar a segurança que a cidade, a população e as autoridades que estão aqui merecem”, completou Ibaneis.

As declarações fazem parte de entrevista concedida pelo governador ao Metrópoles na qual ele fez um balanço do primeiro ano de gestão. Ibaneis falou sobre segurança, educação, saúde, mobilidade e funcionalismo, entre outros temas. Leia o material completo na quarta-feira (25/12/2019).

Últimas notícias