Bolsonaro exonera Paulo Fona do cargo de secretário de Imprensa

Em nota, o jornalista se manifestou surpreso com a decisão do presidente da República, seis dias após ser nomeado

Dênio Simões/Agência BrasíliaDênio Simões/Agência Brasília

atualizado 13/08/2019 21:38

Seis dias após ser nomeado titular da Secretaria de Imprensa pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), Paulo Fona foi exonerado nesta terça-feira (13/08/2019) do cargo. A decisão pegou o próprio jornalista de surpresa: “O desafio era imenso, sempre soube, mas esperava maior profissionalismo, o que não encontrei. Em todos os governos que passei, de diferentes partidos – MDB, PSDB e PSB –, sempre trabalhei com o objetivo de tornar a comunicação mais ágil, eficiente e transparente, e leal às propostas da gestão”.

Fona foi chefe de Comunicação do Governo do Distrito Federal (GDF) nos governos de Joaquim Roriz e de Rodrigo Rollemberg. Com a derrota do socialista nas urnas no ano passado, acabou nomeado assessor parlamentar júnior na liderança do PSB no Senado. Entre 2007 e 2009, atuou como secretário de Comunicação e porta-voz do governo do Rio Grande do Sul, durante o mandato de Yeda Crusius (PSDB).

Em nota, o jornalista disse que foi convidado para assumir a Secretaria de Imprensa no mês passado e alertou o Palácio do Planalto do “meu histórico e minha postura profissional e a intenção de ajudar na melhoria do relacionamento com a mídia em geral”.

“Construí minha carreira profissional com meus próprios méritos e defeitos. Obrigado a todos os jornalistas que me acolheram de maneira calorosa e esperançosa de que o relacionamento mudaria”, agradeceu, ao final do texto.

SOBRE OS AUTORES
Lilian Tahan

Dirige desde setembro de 2015 o site de notícias Metrópoles. É formada em comunicação social pela Universidade de Brasília (UnB), com especialização em jornalismo digital e gestão de empresa de comunicação pela ISE Business School, instituição vinculada à Universidade de Navarra, na Espanha. Antes do Metrópoles, trabalhou por 12 anos no Correio Braziliense e dois anos na revista Veja Brasília. Ao longo da carreira, conquistou prestigiados prêmios de jornalismo, como Esso, Embratel, CNT, CNI, AMB, MPT, Engenho.

Maria Eugênia

Formou em jornalismo pelo Centro Universitário de Brasília (UniCeub) em 1988. No Jornal de Brasília, chegou ao cargo de editora-chefe. Trabalhou também no Correio Braziliense, na Band News FM, e foi coordenadora-adjunta de Comunicação para a Copa do Mundo 2014, junto ao Governo do Distrito Federal (GDF).

Últimas notícias