Arthur Weintraub tenta corrigir erro de crase da UNE e erra também

Arthur é irmão do ministro da Educação, Abraham Weintraub, que escreveu vários tuítes com erros ortográficos

Alex Ferreira / Câmara dos DeputadosAlex Ferreira / Câmara dos Deputados

atualizado 07/09/2019 15:35

Arthur Weintraub, irmão do ministro da Educação, Abraham Weintraub, foi corrigir um tuíte publicado pela União Nacional dos Estudantes (UNE), mas acabou errando na explicação.

O perfil @uneoficial postou mensagem criticando as novas carteirinhas estudantis promovidas pelo governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Já no final do texto, uma crase foi usada de forma equivocada.

“Jair Bolsonaro vai acabar com as carteiras produzidas por Centros Acadêmicos, Diretórios Centrais dos Estudantes e Grêmios por todos o país, que usam esses recursos para atividades estudantis, bem como para resistir à (sic) esse desmonte da educação”, escreveu a UNE.

Em resposta, Arthur defendeu a iniciativa do presidente Bolsonaro e tentou ironizar o texto da UNE pelo erro com a crase.

“Jair Bolsonaro não vai acabar com nada. Só estamos dando uma alternativa de tirar a carteirinha de estudante sem custos ao estudante. É liberdade para os estudantes não ficarem dependendo de ‘estudantes’ que não sabem que não se usa crase antes de palavra masculina”, respondeu.

Acontece que a explicação de Arthur sobre o erro no uso da crase em questão está equivocada. De fato, o sinal gráfico foi usado de forma errada pela entidade, mas não por se tratar de “palavra masculina”, e sim porque não ocorre crase antes do pronome demonstrativo “esse”, tanto em sua forma masculina quanto feminina – “essa”.

O ministro da Educação compartilhou a correção do irmão nas redes sociais. Abraham Weintraub também passou por episódios em que escreveu de forma equivocada. Na última semana, um documento produzido pelo seu ministério e atribuído a ele grafou as palavras “suspenção” e “paralização” ao pedir recursos ao ministro da Economia, Paulo Guedes.

SOBRE OS AUTORES
Tácio Lorran

Nascido em Valparaíso de Goiás (GO), apesar de ter crescido nas redondezas, é fruto da cultura brasiliense. Já atuou como repórter na editoria de Cidades do Jornal de Brasília e estuda jornalismo no Centro Universitário Iesb. Vencedor de dois Projetos Integradores (PIs) nas categorias melhor reportagem impressa e melhor plano de comunicação. É estagiário em Política e Brasil desde maio de 2019.

Denise Costa

Linguista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Também cursou editoria e jornalismo na Università La Sapienza di Roma. Foi estagiária da Cedat85, realizando transcrições fonéticas de língua portuguesa. Trabalhou na Cooperativa ITC como intérprete e tradutora de português para o Ministero dell'Interno. Atuou como professora de italiano e português para estrangeiros na Associazione Dante Alighieri di Brasilia e UnB Idiomas. É colaboradora na Amora -- Consultoria linguística.

Últimas notícias